Com público recorde em Manaus, Rio vence o S. Caetano pela Superliga de vôlei

 

Publico recorde na arena Amadeu Teixeira para o jogo de vólei da superliga, entre Rio e S. Caetano

Manaus, AM – Para os amantes do vôlei, o sábado a noite foi de muita emoção na Arena Poliesportiva Amadeu Teixeira, na capital amazonense. A cidade recebeu na noite desta sexta, o maior público da desta temporada da Superliga feminina de vôlei. Compareceram ao ginásio 5.947 pessoas e viram a equipe de Bernardinho vencer mais uma partida na competição.

O Rio de Janeiro venceu o São Caetano por 3 sets a 2, com parciais de 25 a 14, 18 a 25, 23 a 25, 25 a 18 e 15 a 9. Gabi foi eleita a melhor jogadora da partida.

O público que compareceu ao ginásio de Manaus foi à loucura com a vitória da equipe de Bernardinho, que foi muito festejado.

Com o resultado, o Rio de Janeiro chega aos 46 pontos e aumenta a diferença para o segundo lugar, Praia Clube, que tem 40 pontos. Já o São Caetano, amarga a 10ª colocação.

 Manaus no topo

O Recorde de público da temporada 2016/2017 supera outro público o maior público até o momento da competição, que também foi registrado na Arena Amadeu Teixeira. No duelo entre São Caetano e Praia Clube, no dia 11 de novembro, quando 4.782 pessoas compareceram ao ginásio.

O terceiro maior foi no confronto entre o Rio do Sul e Rio, em Lages (SC), no dia 2 de dezembro, com 4.278 pessoas, e o terceiro aconteceu no dia 7 de janeiro no duelo entre o time do ABC Paulista e o Osasco, também em Manaus, com 4.079 pessoas.  

O jogo

O primeiro set da partida teve vitória muito tranquila do Rio de Janeiro. A equipe de Bernardinho foi muito eficiente nos fundamentos, e manteve sempre uma distância de, no mínimo, cinco pontos do adversário.

Gabi foi uma das grandes responsáveis pela maioria dos pontos da equipe carioca, aparecendo bem no bloqueio e fazendo recepções perfeitas.

O São Caetano foi justamente o oposto. Com muitos erros, o time não conseguiu ter uma sequência de pontos, ora por erros no saque, ora por falhas em outros fundamentos, como a recepção e o bloqueio, que simplesmente não funcionou. O set terminou em 20 minutos com vitória para o Rio por 25 a 14.

O São Caetano acordou no segundo set e protagonizou uma reação fantástica. Corrigindo os erros do primeiro set, a equipe cresceu com os ataques precisos de Fernanda, abrindo sete pontos que permaneceram até o fim da etapa.

O nome do segundo set foi Edinara, que além de ajudar nos bloqueios, se destacou no ataque. A reação do time paulista mexeu inclusive com a torcida, que mudou de lado e passou a apoiar a equipe do ABC paulista. Sentindo o golpe, o Rio de Janeiro começou a se atrapalhar em fundamentos simples, e mesmo ensaiando uma reação, acabou vendo o set ficar com as adversárias após uma sequência incomum de erros.  Resultado, 25 a 18 para o São Caetano.

A reação do São Caetano no segundo set deixou a equipe mais vibrante e foi esse espírito que o time levou para o terceiro set, mantendo o jogo equilibrado, desta vez, com uma disputa ponto a ponto.

Tentando se impor através dos fundamentos, o Rio de Janeiro sentiu a dificuldade do jogo, mas ofereceu muito mais resistência nesta etapa. Porém o set perfeito de Fernanda não deu chances para a equipe de Bernardinho. Precisa nas recepções e fulminante nos ataques, inclusive naqueles antes da linha dos três, acabaram pesando para dar a vitória parcial à equipe Paulista. Com isso, vitória por 25 a 23.

O quarto set iniciou com o Rio de Janeiro botando a cabeça no lugar e voltando com tudo para o jogo. De cara, a equipe de Bernardinho abriu quatro pontos de vantagem. O São Caetano até conseguiu equilibrar o jogo, mas os erros sucessivos de Nikolle Del Rio acabaram sendo determinantes para que as meninas do Rio disparassem e abrissem sete pontos de vantagem. Gabi voltou a brilhar e Monique fez sua parte no saque.

Nem mesmo o bom set de Edinara e Fernanda conseguiu salvar o São Caetano, que viu o adversário vencer por 25 a 18 e forçar o tie-break.

No set desempate, sobrou frieza para a equipe do Rio de Janeiro. Após levar o jogo de forma equilibrada até a metade do set, a equipe de Bernardinho abriu vantagem de três pontos em um lance polêmico, após Roberta levantar uma bola em uma jogada que teve muita reclamação de dois toques por parte do São Caetano.

O árbitro não viu infração, o que despertou a fúria do técnico Hairton Cabral, que acabou recebendo cartão vermelho, dando mais um ponto para o Rio, que a partir dali só administrou o placar com as investidas de Gabi. A jogadora acabou sendo eleita a melhor da partida.

Amazmnianarede-/GE-AM

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.