Cidade do Povo é modelo para o país

Amazonianarede – A Gazeta do AC

Brasília – O gabinete de trabalho do ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, ficou lotado nesta quarta-feira, 13, de empresários, políticos, técnicos e jornalistas do Acre com a assinatura dos primeiros contratos entre a Caixa Econômica e o Banco do Brasil e as empresas acreanas que irão construir as primeiras 3,5 mil das 10,5 mil casas que serão edificadas pelo governo Tião Viana na Cidade do Povo, em Rio Branco.

Ao lado do governador Tião Viana, o ministro das Cidades afirmou que a Cidade do Povo rio-branquense servirá de modelo para o país por ser uma cidade planejada, moderna e ambientalmente sustentável, que vai garantir, segundo ele, elevada qualidade de vida para as 60 mil pessoas que nela irão morar.

“Trata-se de uma cidade que terá o suporte daquilo que o Brasil e o mundo discutiram e aprovaram na Eco-92, no Rio de Janeiro, em termos de sustentabilidade ambiental, que garante maior qualidade de vida para as pessoas. É uma cidade sustentável”, declarou o ministro, demonstrando muita satisfação de estar representando a presidenta Dilma Rousseff na cerimônia de assinatura dos contratos que contam com recursos do programa federal Minha Casa, Minha Vida.

Segundo ainda o ministro Aguinaldo Ribeiro, o governador Tião Viana, a bancada federal, os empresários e, principalmente, a população humilde e pobre do Acre que vai ocupar as 10,5 mil casas da Cidade do Povo “estão de parabéns por um projeto tão avançado, arrojado, moderno e ambientalmente sustentável”.

Ao falar na cerimônia, o governador Tião Viana agradeceu a presidenta Dilma, aos senadores Jorge Viana e Aníbal Diniz e aos deputados federais Sibá Machado, Taumaturgo Lima, Perpétua Almeida e Henrique Afonso pela execução do projeto da Cidade do Povo, que será oficialmente lançado na próxima segunda-feira, 18, no local onde começará a ser edificado, no segundo Distrito da Capital, no início da BR-364.

Tião Viana lembrou que a magnitude da futura Cidade do Povo pode ser medida, entre outros fatores, pelo número de trabalhadores em sua construção, que englobará, em sua fase mais intensa de obras, 17 mil pessoas, equivalente a uma mão-de-obra superior à que foi usada no auge da construção das gigantescas usinas hidrelétricas de Jirau e Santo Antônio, em Rondônia.

Além disso, segundo lembrou o governador, a futura cidade abrigará uma população de 60 mil pessoas, constituindo-se na terceira maior cidade do Acre, com população inferior apenas às de Cruzeiro do Sul e da própria Rio Branco. Tião Viana também enalteceu o perfil socioambiental da futura cidade, que será ambientalmente sustentável e habitada por pessoas de baixa renda. Dos mais de 700 hectares que a cidade ocupará, 400 hectares serão destinadas a áreas verdes. O projeto da Cidade do Povo está orçado em R$ 1,2 bilhão.

“A hora agora é dos canteiros de obras, de muito trabalho e de agradecer a presidenta Dilma e ao ministro das Cidades, que devem ir ao Acre em maio próximo, no auge do verão, para celebrarem esse momento de edificação de tão grande projeto que estamos executando no Acre com a ajuda deles”, assinalou o governador.

(Agência Acre) 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.