Cesta básica em Manaus fechou outubro em alta

Tomate, mais uma vez o vlião
Tomate, mais uma vez o vlião
Tomate, mais uma vez o vlião

Manaus – Para a população com menor poder aquisitivo, a situação piora a cada dia neste momento de crise no Brasil Em Manaus, o preço da cesta básica de Manaus fechou o mês de outubro com alta de 0,5 % em relação em relação a setembro, de acordo com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Grande vilão foi tomate (6,64%) que apresentou maior alta. Ainda de acordo cm o Dieese, Manaus continua ocupando a 10ª posição com o maior custo dentre as 18 capitais onde é realizada a pesquisa.

De acordo com o levantamento, o valor da cesta, composta por 12 produtos, custou R$ 337,42 em outubro. No mês anterior o conjunto de itens alimentícios essenciais custava R$ 335,73. Em outubro de 2014 a cesta básica custou R$ 306,69.

Na capital amazonense, sete produtos apresentaram alta e cinco tiveram queda nos seus preços no mês analisado. O tomate (6,64%) foi o produto que apresentou maior alta no mês seguido do óleo (2,49%), do açúcar (1,6%), do feijão (1,19%), da carne (1,08%), do arroz (0,42%) e do café (0,22%). A farinha (-7,3%) foi o produto que apresentou a maior queda no mês seguido da banana (-5,24%), do leite (-2,42%), da manteiga (-1,68%) e do pão (-0,64%).

Capitais Entre as 18 capitais metade apresentou aumento do valor do conjunto de bens alimentícios básicos e a outra metade, redução. As maiores altas ocorreram em Brasília (2,10%), Natal (0,97%) e Aracaju (0,93%). Já as quedas mais expressivas foram apuradas nas cidades do Sul – Curitiba (-1,85%), Porto Alegre (-1,27%) e Florianópolis (-1,21%).

A capital com maior custo da cesta básica foi São Paulo (R$ 382,13), seguida de Porto Alegre (R$ 380,80), Florianópolis (R$ 378,45) e Rio de Janeiro (R$ 359,66). Os menores valores médios foram observados em Aracaju (R$ 282,87), Natal (R$ 285,47) e Recife (R$ 297,78).

Em 12 meses, entre novembro de 2014 e outubro de 2015, Manaus acumulou alta de 10,02%. Nas demais cidades, as variações ficaram entre 6,02%, em Recife, e 21,50%, em Aracaju.

Também nos dez primeiros meses de 2015, todas as cidades apresentaram aumento. Aracaju (15,13%), Salvador (11,21%) e Curitiba (10,79%) lideram. Manaus fechou o período com 5,21%. As menores variações aconteceram em Goiânia (3,16%) e Recife (3,98%).

Amazonianaredee-Dieese

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.