Casas de câmbio registram queda de até 50% nas vendas do dólar

Com a desvalorização do Real, cai muito a venda do dólar
Com a desvalorização do Real, cai muito a venda do dólar
Com a desvalorização do Real, cai muito a venda do dólar

Amazonas – A cotação do dólar avançou cerca de 2% e encostou em R$ 3,30 nesta quinta-feira (23). A alta, que representa o maior patamar em quatro meses de variação diária, tem causado efeitos negativos nas casas de câmbio de Manaus. Alguns estabelecimentos registraram uma queda de até 50% nas vendas da moeda desde o início de 2015 e temem maiores prejuízos. Em casas de câmbio da capital, o valor chega a R$ 3,48.

Na empresa Amazônia Câmbio – que tem lojas no Centro e em shoppings da capital -, a moeda está sendo vendida a R$ 3,45 mais cobrança do Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro, ou relativas a Títulos e Valores Mobiliários (IOF). De acordo com a supervisora de loja, Louyseane Pontes, as vendas caíram de 40 a 50% do local.

“Nós já estamos registrando queda há alguns meses – desde o início do ano, na verdade. Só não diminuiu mais porque muitas pessoas já estão com passagens compradas e não têm para onde correr, têm que comprar. Mas 50% já é uma ‘boa’ porcentagem”, disse.

Segundo ela, o preço do dólar praticado no estabelecimento tem oscilado bastante. “Antes de ontem [21 de julho] estava R$3,41, ontem baixou para R$ 3,35, e hoje já subiu para R$3,45. Muitos clientes acompanham o mercado, mas não deixam de ficar surpresos”, afirmou.

Cada vez que o dólar sobe, as vendas da moeda na empresa Cortêz Câmbio e Turismo também diminuem. A queda das vendas no local chegou quase a 50%, conforme o diretor e proprietário da Casa, Mário Cortêz. “Estamos vendendo o dólar a R$3,4632 já com IOF incluso. Esse é o maior preço já praticado pela gente em 2015”, informou.

O abalo grande nas vendas é grande, segundo Cortêz. “Acompanhando a parte de economia é possível ver que a saída de brasileiros diminuiu em torno de 30%, porque a classe média e média baica, que estava viajando, parou de viajar porque ficou realmente muito caro. Como você compra e vende na mesma hora, a operação evita prejuízo, mas estamos atentos”, explicou.

O gerente geral da Fitta Câmbio, Josué Correa, registrou queda de 30% nas vendas desde o início deste ano. O preço do dólar praticado no estabelecimento é de R$ 3,48. “Na realidade, todo o mercado de câmbio a nível nacional teve queda nas vendas. Não chega a dar grande prejuízo, mas teve diminuição do faturamento porque muitas pessoas desistem de viajar”, relatou.

Para driblar os prejuízos com o aumento da moeda norte-americana, a casa de câmbio busca fazer parcerias com agências de turismo. “Um cliente vindo de uma certa agência de turismo pagará um preço diferenciado. Damos o desconto máximo que a gente pode dar, mas não  podemos fazer muita coisa porque é uma crise geral”, completou.

Cotação Por volta das 15h17, a moeda norte-americana avançava 2,08%, a R$ 3,2927 na venda, após marcar na véspera a maior alta em quase dois meses. Veja cotação. Na máxima da sessão, a divisa subiu quase 2,30% e atingiu R$ 3,2992. É a maior cotação desde 19 de março, quando o dólar fechou em R$ 3,2965. Antes disso, a maior cotação do dólar foi registrada em abril de 2003. E também foi o maior valor intradia desde 20 de março, quando a moeda foi a R$ 3,3162.

Amazonianarede-Rede Amazônica

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.