Caos em Rondônia: Deputado acusa governador de corrupção e exibe provas

Porto Velho – Presidente afastado da Assembleia exibe em público cópias de cheques e depósitos bancários para provar que cunhado e irmã de Confúcio receberam propina.

O lobista Francisco de Assis e sua mulher, Cláudia Moura, receberam R$ 1 milhão e 100 mil reais em depósitos bancários efetuados por empresários que queriam fornecer programa de informática para o Detran, móveis para o Centro Político Administrativo (CPA) e outras repartições públicas estaduais, além dos pagamentos feitos por uma empresa de crédito consignado.

Francisco de Assis é cunhado do governador Confúcio Moura (PMDB) e foi coordenador financeiro da campanha ao Governo.

O dinheiro foi pago por meio de depósitos bancários numa agência do Banco do Brasil localizada dentro da Câmara dos Deputados Federais. Foram feitos diversos depósitos, alguns sucessivamente no mesmo caixa eletrônico, a intervalos de apenas alguns minutos.

Os valores dos depósitos variavam de R$ 50 mil, R$ 30 mil até quantias mais modestas, como R$ 3 mil, mas tudo caiu direto na conta bancária de Assis e Cláudia Moura, irmã do governador Confúcio Moura.

A denúncia – fartamente documentada com cópias de depósitos – foi feita na manhã desta sexta-feira pelo presidente afastado da Assembleia Legislativa, José Hermínio Coelho (PSD), durante entrevista à imprensa, mas já havia sido apresentada ao Ministério Público de Rondônia pelo próprio Hermínio na véspera da Operação Apocalipse, da Polícia Civil, que levou para a cadeia mais de 30 acusados de envolvimento com o tráfico de droga, estelionato e outros crimes, e resultou no afastamento temporário do próprio Hermínio e de mais quatro deputados estaduais – Adriano Boiadeiro, Ana da 8, Cláudio Carvalho e Jean Oliveira.

A entrevista foi concedida por Hermínio no auditório do Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário. Hermínio está proibido pela justiça de frequentar a Assembleia durante o tempo que durar seu afastamento.

“Em troca da promessa de que o empresário ganharia o contrato para fornecer móveis para o CPA, Assis, com o conhecimento do governador, recebeu propina adiantada, mas acabou enganando o corruptor ativo, que não vendeu sequer uma cadeira ao Estado”, disse o deputado.

O parlamentar afirmou que só tomou conhecimento deste caso de corrupção no Governo porque foi procurado pelo empresário. Este lhe entregou toda a documentação do esquema, encaminhada na quarta-feira desta semana ao procurador geral de justiça, Héverton Alves de Aguiar.

Hermínio explicou que, na verdade, são três denúncias de corrupção envolvendo a família do governador. A primeira, já amplamente divulgada mas até agora não investigada pelo MP, refere-se ao esquema dos empréstimos consignados pela empresa Multimargem, que pagou propina a Assis e depositou o dinheiro na conta do cunhado e da irmã do governador.

As outras duas denúncias são relativas ao empresário que queria fornecer os móveis e outro a quem foi prometido o contrato do Detran para a compra de um programa de computador, totalizando R$ 1, 100 mil em propina embolsada por Assis. Só o dinheiro depositado na agência do Banco do Brasil em Brasília, na Câmara dos Deputados, totalizou R$ 700 mil.

(O Combatente) 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.