Brasil vence a nona em dez jogos e chega motivado à fase final

Time de Bernardinho teve poucas dificuldades contra os eliminados Estados Unidos, no Maracanãzinho: 3 a 0.

Mesmo classificado por antecipação à fase final da Liga Mundial, a Seleção Brasileira masculina de vôlei tratou de não decepcionar os torcedores do Ginásio do Maracanãzinho e bateu os Estados Unidos por 3 sets a 0, com parciais de 25/21, 26/24 e 25/23, em 1h29 de jogo. A torcida, que foi em bom número a uma partida que já não valia muita coisa além da motivação, chamou atenção antes do início da disputa ao cantar o Hino Nacional à capela quando o som parou de tocar.

O Brasil poupou alguns jogadores mais experientes – o levantador Bruninho, o ponta Dante e o oposto Leandro Vissotto não foram relacionados por Bernardinho. O técnico experimentou o ponteiro Lipe e o meio de rede Maurício Souza desde o início do jogo, que teve 33 pontos dados de presente pelos americanos em erros. Os brasileiros falharam em 22 ocasiões.

O destaque da casa foi o oposto Wallace, que marcou 14 pontos. Lipe veio na sequência com 10. O maior pontuador da partida, no entanto, fazia parte do time derrotado. Carson Clark anotou colocou a bola no chão 17 vezes.

A Seleção Brasileira alcançou os 25 pontos no Grupo A e chega com moral à fase final da competição, que será disputada a partir da próxima quarta-feira, em Mar Del Plata, na Argentina. O Brasil abre as disputas logo contra a Rússia, time contra o qual somou duas vitórias na fase de classificação. O Canadá completa o grupo. Na outra chave, Argentina, Itália e Rússia disputam duas vagas para as semifinais.

O jogo

A partida começou equilibrada. Brasil e Estados Unidos trocaram pontos até o time de Bernardinho abrir 10/8 num belo bloqueio de Thiago Alves. No segundo tempo técnico, o placar já apontava 16/13 para os donos da casa, que se aproveitaram muito de erros do adversário – principalmente no saque – para construir a vantagem.

Bernardinho então trocou de levantador: saiu William para a entrada de Raphael. Éder também entrou no lugar de Maurício Souza. A equipe de amarelo se atrapalhou um pouco mais, mas o técnico pediu tempo quando a diferença caiu para um ponto em 19/18. As substituições foram desfeitas e os brasileiros fecharam a primeira parcial em 25/21 após um ponto de “manchete” de Lipe – ele buscou uma bola quase perdida e os americanos se atrapalharam.

Ambas as equipes voltaram à quadra errando muito no segundo set. Eram saques e ataques equivocados de todos os lados. Quando o Brasil errou duas recepções seguidas e os americanos abriram 10/8, Bernardinho pediu tempo.

Mas não adiantou. Os brasileiros chegaram ao segundo tempo técnico três pontos atrás no placar. Duas jogadas e dois erros depois, já estava 18/13 para os americanos. Novo tempo. Para o time de vermelho, era só uma questão de se manter na frente. O que ele não conseguiu porque Lucão fez dois aces numa única passagem pelo serviço e o Brasil empatou em 20/20. O controle emocional americano se desintegrou e a equipe de Bernardinho fechou em 26/24 em mais um erro adversário.

Desclassificado e desmotivado depois de perder um set em que chegou a ter sete pontos de vantagem, o time dos Estados Unidos já foi para a quadra praticamente derrotado na terceira parcial. Os jogadores brasileiros perceberam. E quase entregaram o jogo por falta de concentração. Bernardinho precisou para o jogo por duas vezes para o time voltar aos trilhos. Deu certo. Parcial de 25/23 e nona vitória em dez partidas na Liga Mundial.

(Terra) 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.