Brasil busca goleada contra Haiti para não se complicar na Copa América

O desafio da seleção, que não começou bme a Copa América, é golear o Haiti

 

O desafio da seleção, que não começou bme a Copa América, é golear o Haiti
O desafio da seleção, que não começou bem a Copa América, é golear o Haiti

EUA – Depois do empate sem gols com o Equador na Copa América do Centenário, a seleção brasileira precisa balançar as redes contra Haiti, nesta quarta-feira (8), em Orlando, pela segunda rodada do grupo B do torneio continental. Uma vitória elástica pode ser fundamental, já que o saldo de gols é o primeiro critério de desempate em quase de igualdade de pontuação.

Para golear os haitianos, porém, os comandados de Dunga precisam chutar mais a gol. Contra os equatorianos, o Brasil teve 60% de posse bola, mas finalizou apenas três vezes. Philippe Coutinho e William mostraram boa movimentação, mas faltou poder de definição lá na frente, com Jonas mostrando falta de entrosamento com os companheiros.

Mesmo assim, tudo indica que o treinador vai repetir a escalação de sábado, a não ser que Miranda seja liberado pelo departamento médico. O zagueiro do Atlético de Madri, que perdeu a partida de estreia por conta de uma lesão muscular, não treinou com o grupo na segunda-feira e deve ser substituído novamente pelo jovem  Marquinhos, do Paris Saint-Germain, para formar dupla com Gil.

“A seleção tem obrigação de vencer sempre, seja contra o Haiti o contra qualquer adversário”, afirmou Marquinhos. “Eles têm jogadores rápidos, temos que admitir que não exitem jogos fáceis num torneio como a Copa América”, ressaltou.

Peru de olho na vaga

De fato, os haitianos mostraram na estreia contra o Peru que não serão necessariamente o saco de pancadas esperado. Perderam ‘apenas’ por 1 a 0, segurando o empate por mais de uma hora, até levar um gol do atacante do Flamengo Paolo Guerrero.

Nos últimos dois anos, Haiti sofreu mais de um gol apenas duas vezes, contra Colômbia (3-1) e China (2-2).

Bem armado pelo técnico francês Patrice Neveu, a equipe é muito mais competitiva do que em 2004, quando a seleção brasileira venceu de goleada por 6 a 0 um amistoso beneficente com Ronaldo e Ronaldinho Gaúcho, em Porto Príncipe, no último confronto entre as duas equipes. O grupo conta com cinco jogadores que atuam na França e seis nos Estados Unidos.

Na outra partida válida pelo grupo B, os peruanos podem dar um grande passo rumo à classificação se derrotarem o Equador, em Glendale, no Arizona. Pelo que mostraram na estreia, porém, Guerrero e companhia não devem ter vida fácil contra os equatorianos, que ocupam a vice-liderança das eliminatórias para o Mundial-2014 e só não venceram o Brasil porque tiveram um gol mal anulado.

Amazonianarede-Hoje em dia

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.