Biometria – TRE-RR instala posto de atendimento na UERR

Boa Vista – De 14 a 17 de maio, o Tribunal Regional Eleitoral de Roraima (TRE-RR) vai instalar um posto itinerante na Universidade Estadual de Roraima (UERR) para realizar o recadastramento eleitoral biométrico de aproximadamente 1.500 estudantes universitários, além dos servidores da instituição, familiares e público em geral.

O atendimento ocorrerá na sala 7B, no horário das 8h às 18h.

A revisão biométrica é obrigatória para todos os 184.292 eleitores de Boa Vista, inclusive para os que têm voto facultativo. Quem não participar, terá o título cancelado automaticamente, não poderá votar nas eleições de 2014 e estará sujeito a uma série de restrições, como a impossibilidade de tirar passaporte ou tomar posse em cargo público entre outras.

Além do posto itinerante, a Justiça Eleitoral tem dois locais fixos para atendimento. Para se recadastrar, o eleitor deve comparecer na 1ª Zona Eleitoral (Av. Santos Dumont nº 760 – Bairro São Pedro) ou na 5ª Zona Eleitoral (Av. Nazaré Figueiras, 2077 – Bairro Pintolândia), das 8h às 18h. Basta apresentar um documento oficial com foto, comprovante de residência atualizado e título de eleitor.

Conforme explicou o secretário de Tecnologia da Informação do TRE-RR em exercício, Fábio Barros, é importante que o eleitor não deixe para fazer a revisão somente quando estiver próximo de encerrar o prazo. “A Justiça Eleitoral roraimense está convocando os eleitores da Capital para fazerem o recadastramento o mais rápido possível a fim de evitar filas e tumultos nos últimos dias do prazo, previsto para encerrar em setembro”, destacou.

O procedimento de revisão eleitoral abrange quatro etapas: atualização dos dados biográficos, digitalização da assinatura, fotografia e coleta das digitais de todos os dedos das mãos.

Segurança

A biometria é uma tecnologia que confere mais segurança à identificação do eleitor no momento da votação, pois o leitor biométrico acoplado à urna eletrônica deve confirmar a identidade de cada eleitor, comparando o dado fornecido (impressões digitais) com todo o banco de dados disponível. Com isso, fica praticamente inviável a tentativa de fraude na identificação do votante, uma vez que cada pessoa tem impressões digitais únicas.

(Roraima Hoje) 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.