Atlético-MG reclama da arbitragem – mas promete a virada

BH – Técnico diz que juiz errou nos gols argentinos. Atletas mantêm cabeça erguida.

O técnico Cuca apontou o árbitro Enrique Osses como o principal responsável pela derrota do Atlético-MG para o Newell’s Old Boys, por 2 a 0, na noite de quarta-feira, em Rosário, Argentina, no jogo de ida das semifinais da Copa Libertadores. Para o treinador, os dois gols do time argentino foram ilegais. Cuca reclamou também de um gol anulado do Atlético, marcado por Jô, no segundo tempo. “A arbitragem foi muito ruim”, reclamou o técnico.

“Não vou tirar o mérito do Newell’’s, mas, em um jogo duro como esse, o juiz cometeu erros que foram capitais e definiram o resultado. No primeiro gol, o Rafael Marques foi agarrado. No segundo, o Gilberto não fez falta. Sem falar no nosso gol de empate, que foi anulado”, completou, sem conseguir esconder a revolta. A derrota deixa o Atlético-MG com a missão de vencer o Newell’s por três gols de diferença para se garantir na decisão da Libertadores. A partida de volta acontece na semana que vem, no Estádio Independência, em Belo Horizonte – onde o Atlético tem um excepcional retrospecto.

Para o atacante Diego Tardelli, o time pode reverter a vantagem obtida pelo adversário. “Não tem nada decidido. Eles fizeram dois gols aqui e a gente também pode fazer lá. A gente sabe da nossa força dentro de casa, então não tem nada definido”, garantiu. O atacante Jô também lembrou a força do Atlético-MG como mandante para assegurar que o time pode se classificar na próxima quarta, no Independência. “Tem mais 90 minutos. Temos uma força muito grande dentro de casa. Com o apoio da torcida e a cabeça no lugar, podemos reverter o resultado. Não tem ninguém de cabeça baixa, a gente confia um no outro e sabe que não tem nada perdido”, afirmou. O meia Ronaldinho Gaúcho reconheceu que o resultado foi ruim, mas prometeu que não vai faltar luta ao time para superar o Newell’s. “Foi um resultado que a gente não esperava, mas não está nada acabado ainda.

Vamos lutar até o final e deixar sangue em campo se for preciso, mas a gente vai passar para a próxima fase. A mesma pressão que eles fizeram aqui lá vai ser em dobro”, prometeu.

(Com Estadão Conteúdo) 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.