Assembleia realiza primeira reunião da CPI da Telefonia no Amazonas

Na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), os deputados que compõem a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da telefonia que irá investigar os serviços prestados pelas concessionárias de telefonia fixa, móvel e de internet no Amazonas, reuniram-se, nesta quinta-feira (22), no miniauditório Natanael Bentes Rodrigues, para instalar a CPI e definir os membros para as funções de presidente e relatoria.

O deputado estadual Marcos Rotta (PMDB) foi escolhido por unanimidade como presidente da CPI, tendo como vice o deputado Orlando Cidade (PTN). Marcelo Ramos (PSB), Sidney Leite (DEM) e Adjuto Afonso (PP) são os deputados que completam a Comissão como membros efetivos. Os suplentes da CPI serão os deputados Luiz Castro (PPS); Chico Preto e Wanderley Dallas (ambos do PMDB).

A novidade ficou por conta da relatoria da Comissão que será dividida em três funções específicas: Marcelo Ramos irá relatar a questão relacionada à internet; Adjuto Afonso sobre a móvel; e Sidney Leite, irá relatar a questão da telefonia fixa.

Marcos Rotta destacou que esse é objetivo de todos os membros da Comissão, “que se propõe a identificar os problemas, apontar as soluções e responsabilizar quem tiver que ser responsabilizado, porque a sociedade amazonense não aguenta mais conviver com a deficiência dessa prestação de serviço de telefonia na capital e interior do Estado”, explicou.

De acordo com Rotta, havia uma grande expectativa por parte da sociedade em relação à instalação dessa CPI, suas ações, trabalho a ser executado e, principalmente, pelo resultado que ela pode alcançar. “Nós que estamos à frente desse trabalho temos essa percepção, pois sabemos, agora, da responsabilidade que recai sobre os ombros de todos os integrantes da CPI, sejam efetivos ou suplentes”, observou o deputado.

Rotta observou, ainda, que o presidente da Assembleia, deputado Josué Neto (PSD) vai dar todo o suporte necessário para que a CPI possa atuar com eficiência. “Haverá um calendário de eventos com deslocamentos para o interior do Estado e outras capitais, além de uma unidade móvel específica. Além disso será preciso a contratação de engenheiros de telefonia para dar assessoria específica nessa questão, principalmente quando se for tratar com as operadoras e com a Agência Nacional de Telefonia (Anatel) que virão a este Poder trazendo dados e elementos técnicos que não temos conhecimento, por isso devemos estar preparados com pessoas capacitadas no assunto”, assinalou.

Os deputados Sidney Leite e Adjuto Afonso disseram que contam com as contribuições a serem dadas pela população para que possam realizar um trabalho em menor tempo possível. “Sabemos que temos um prazo de 120 dias para atuar, mas não queremos usar todo esse prazo, mesmo porque já possuímos muitos dados e esperamos que a população se manifeste, por meio dos canais que serão disponibilizados com esse fim”, observaram.

Depois desse trabalho será feito um relatório condensado sobre a problemática que envolve o sistema de telefonia tanto na capital como no interior do Amazonas, para ser entregue ao Congresso Nacional por meio da União Nacional dos Legislativos Estaduais (Unale), que é o órgão representativo para que se possa dar um freio no problema da telefonia no Amazonas.

(Fonte: Dircom)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.