Ao trabalho já

Rebelião – Ontem, alguns presos da penitenciária Antonio Trindade tentaram mais uma vez tumultuar o sistema. Eles reclamavam da comida e da água, ale das “visitas íntimas”. Ora se não trabalham, não produzem nada de útil para a sociedade, querem exigir o quê? Hotel 5 estrelas, água mineral e os parentes que tentaram derrubar o portão, não deveriam ser presos também? São coisas que este sistema penal brasileiro permite, que em lugar nenhum do mundo seria aturado. Cometeu crime, sabe das consequências, então tem que pagar a pena, com todos os direitos: de não reclamar e pronto.

Rombo – O prefeito Arthur Neto e seu staff da área financeira, revelou que herdou de Amazonino Mendes uma dívida de R$ 350 milhões. O interessante é que ninguém é responsabilizado por endividar desta forma o município. Os caras assumem o poder, fazem mil e uma estripolias e ainda saem como se fossem Deuses. Olha que na época houve denúncias de que asfaltaram até dentro de uma casa na zona leste, mas as contas destes meninos foram aprovadas e ficou tudo bem. Como? Isso ninguém responde.

Cinema – A Câmara Municipal de Manaus, num rompante de “austeridade”, derrubou o auxílio paletó, mas nem dá prá elogiar. Já vão torrar R$ dois milhões, para comprar tablets, câmeras fotográficas e filmadoras para os vereadores registrarem seus trabalhos. Espero que não gravem tudo, porque sai tanta asneira, que é provável que algum deles seja indicado para receber o “Oscar”, ano que vem, como melhor comediante do mundo. É brincadeira um negócio desse. Me engana.

Timão – punição – O Corinthians começa a pagar hoje um alto preço pela irresponsabilidade de alguns torcedores. Vai jogar com portões fechados os jogos pela Copa Libertadores. Mas pior deve ser a situação dos moradores do bairro Pacaembu, que estão apavorados. Alguns dirigentes da torcida Gaviões da Fiel, mais irresponsáveis ainda, estão falando em colocar um milhão de pessoas do lado de fora do estádio. Boa coisa não vai dar. O melhor seria seguir os conselhos do clube e não levar ninguém. A vizinhança agradece e com certeza novas tragédias seriam evitadas.

Desvio de função – Assistindo ao vivo, os trabalhos da Câmara Municipal de Manaus, é possível perceber que os vereadores não estão preocupados com a fiscalização do poder executivo municipal. Em menos de dois meses já foram apresentadas quase 70 “Moções de Parabenização”, em vez de discussões e requerimentos que possam colaborar para resolver problemas graves da cidade. É muita grana que esses caras levam, para ficar dando “parabéns a torto e a direito.

 

 

Sérgio Costa
Da Redação 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.