Amazônia usa CO2 como “fertilizante” e fica mais resistente ao aquecimento, revela estudo

Amazonianarede – Com agências internacionais

A floresta amazônica não é tão vulnerável às mudanças climáticas como se pensava anteriormente, revela novo estudo publicado na revista Nature.

Isso acontece porque o “pulmão do mundo” usa o dióxido de carbono que absorve da atmosfera para desenvolver folhas, galhos e raízes, ou seja, o CO2, vilão do aquecimento global, atua como uma espécie de fertilizante para as árvores.

Os pesquisadores da Universidade de Exeter, na Inglaterra, afirmam que o estímulo ao crescimento propiciado pelo CO2 pode superar os efeitos nocivos do aquecimento global previstos para este século.

“Não estou mais tão preocupado com uma extinção catastrófica [das florestas tropicais] por causa da mudança climática provocada pelo CO2”, disse Peter Cox, autor principal do estudo. “Nesse sentido, é uma boa notícia.”

O carbono que vira fertilizante, no entanto, volta à atmosfera quando a planta apodrece ou é queimada. O desmatamento da floresta poderia liberar uma grande quantidade de carbono e, portanto, agravar o aquecimento global, provocando mais inundações, tempestades e elevação do nível dos mares (causado pelo degelo nas calotas polares).

Acúmulo de CO2

As florestas tropicais são chamadas de “pulmão do planeta”, porque absorvem dióxido de carbono e liberam oxigênio. Essa quantidade de CO2 que a cobertura florestal absorve, no entanto, oscila ano a ano devido às variações climáticas.

O estudo, então, usou modelos comparativos do crescimento florestal em relação às mudanças nos níveis de CO2 atmosférico e descobriu que os efeitos nocivos do aquecimento podem liberar 50 bilhões de dióxido de carbono que estão acumulados nas florestas tropicais, principalmente na Amazônia, a cada subida de um grau Celsius na temperatura do planeta.

Mas, segundo a análise de Cox, o CO2 fertilizado vai superar as perdas com as emissões e aumentar até 319 bilhões de toneladas de carbono armazenado neste século. Atualmente, estima-se que haja de 500 bilhões a 1 trilhão de toneladas de carbono armazenados nas árvores de florestais tropicais.

“A fertilização pelo CO2 vai superar o efeito negativo sobre a mudança climática, de modo que as florestas vão continuar acumulando carbono ao longo do século 21.” 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.