Amazônia poderá ser unida ao Pacífico pelo projeto Manta-Manaus

Thomaz Nogueira

Thomaz Nogueira

Amazonianarede – Suframa

Manaus – A Superintendência da Zona Franca de Manaus ( SUFRAMA) está interessada em estreitar relações comerciais com o Equador, segundo anunciou o superintendente Tomas Nogueira essa estratégia já está sendo montada.

A SUFRAMA já organiza uma missão institucional àquele país com o objetivo de estreitar essa relação e discutir viabilidades para a utilização do corredor logístico multimodal entre Manta e Manaus, fato que poderá gerar muitos benefícios para o Amazonas.

O PROJETO

Nogueira explicou que o projeto começa em Manta, no Equador e, passando pela Colômbia, chega ao Brasil, via Tabatinga. O eixo será um corredor que funcionará via fluvial, terrestre e aérea, no caso das mercadorias que vão para a Ásia. A viagem deve acontecer no primeiro trimestre de 2013.

Nesta semana o superintendente recebeu o diretor de Comércio Exterior do Equador, Juan Pablo Peñaherrera, representantes do escritório comercial do Equador no Brasil e empresários equatorianos da área metalúrgica. Queremos exportar mais para o Brasil e este corredor poderá trazer ganhos logísticos para o Polo Industrial de Manaus”, afirmou o diretor comercial do Equador no Brasil, Daniel Carofilis.

Manta é o porto da América Latina mais próximo da Ásia. O projeto do corredor funciona da seguinte forma: a mercadoria é transportada por balsa da Ásia até Manta, depois via rodoviária até Providência (ainda no Equador), seguindo novamente em balsas até Letícia, na Colômbia, de onde parte para o Amazonas via Tabatinga. Segundo levantamento do projeto equatoriano, a rota da Ásia à Manaus pelo Canal do Panamá – que é utilizada atualmente – dura de 41 a 60 dias, ao custo de US$ 5,7 mil dólares por contêiner, enquanto a rota via Manta tem duração de 31 a 35 dias, ao custo de US$ 5,06 mil dólares por contêiner.

INVESTIMENTO EM MANAUS

De acordo com Carofilis, o governo equatoriano vai investir US$ 130 milhões no porto de Manta para ampliar a capacidade de recebimento de carga, tanto na infraestrutura quanto na alfândega, que atualmente é de apenas mil contêineres/mês.

O projeto total de ampliação do porto está orçado em aproximadamente US$ 500 milhões. “Gostaríamos que a Suframa, junto da Transportes Bertolini, que é referência em logística na região, liderassem uma missão ao Equador, para discutirmos alternativas para estreitar a relação comercial dos países por meio desta rota”, afirmou Peñaherrera.

O superintendente da Suframa informou que colocou equipe técnica à disposição para afinar os detalhes para viabilizar a missão. “De antemão, já informo que temos a intenção de comprar.

Acredito que podemos articular esta missão junto à Federação das Indústrias (Fieam) e Associação Comercial do Amazonas (ACA) para estabelecermos nossas possibilidades comerciais, que têm tudo para gerar bons resultados para os dois países”, observou Nogueira.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.