Amapá: MP denuncia padre na Justiça

Mazagão, AP – O delegado Sandro Simey Torrinha, titular da Delegacia de Polícia Civil do município de Mazagão, concluiu o inquérito de nº 025/2013 que apurou denúncias de crime de abuso sexual praticados pelo padre Miguel Arcângelo Vanin, 63 anos, contra um menino de 11 anos de idade.

O caso ocorreu no dia 26 de março, segundo a vítima, em um dos quartos da Casa Paroquial de Mazagão.

“Colhemos vários depoimentos e provas ao longo do inquérito que foi concluído. Não restaram dúvidas de que o padre vinha abusando dessa criança. Chegamos a ouvir o menino por várias vezes para verificar se haveria alguma contradição nos depoimentos, no entanto, a criança foi enfática ao narrar tudo o que ocorreu, sempre com a mesma riqueza de detalhes”, disse o presidente do inquérito.

O padre Vanin – que foi preso no dia 11 de abril passado, e solto recentemente – foi indiciado como incurso no Art. 217-A c/c Art. 69 do Código Penal (estupro de vulnerável com concurso material, ou seja, o mesmo crime praticado mais de uma vez).

A promotora interina da Comarca de Mazagão Novo, Neuza Rodrigues Barbosa Leite – que assumiu a Promotoria, ontem – afirmou que o Ministério Público do Estado recebeu o inquérito e ofertou a denúncia à Justiça no dia 15 de maio.

“A denúncia já foi ofertada pelo promotor Marcelo José de Guimarães e Morais à Justiça do Estado. Ele certamente identificou a robustez das provas apresentadas pelo delegado ofertando a denúncia. Agora o caso passa às mãos da justiça que irá julgar o caso”, resumiu a promotora.

A pena para o crime de estupro de vulnerável varia entre 8 anos e 15 anos de prisão. Como houve a combinação com o Art. 69 do CP, a pena pode ser aumentada, em caso de condenação.

(Diário do Amapá)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.