Agências de intercâmbio registram aumento de viagens em família

São Paulo – É bom quando unimos o útil ao agradável. Melhor ainda quando o útil ajuda no aprimoramento profissional, independentemente da fase da carreira que se está vivenciando.

Muitos pais e filhos já perceberam isso e arrumaram as malas juntos em busca de experiências no exterior que aliam aprendizado e lazer.

Conhecido como intercâmbio familiar, o programa permite que pais e filhos estudem inglês ou outra língua no exterior, ao mesmo tempo em que aproveitam as atrações turísticas da região escolhida. “Percebemos o aumento do interesse por esse tipo de programa nos últimos anos e acreditamos que o potencial de crescimento é grande, uma vez que os pais enxergam valor em atividades como estas por já terem feito quando adolescentes”, diz Marcia Mattos, gerente de cursos do STB.

Entre o primeiro trimestre do ano passado e o mesmo período deste ano, a demanda por intercâmbio familiar no STB cresceu 50%. Já na CI, a procura por esse tipo de programa cresceu 30% no mesmo período de comparação.

A farmacêutica Nelma Lorenço de Matos Cruz, de 48 anos, engrossou os números do trimestre: viajou com a filha e com o genro para Nova York em fevereiro. “Minha filha tem inglês fluente e foi comigo para aprimorá-lo e me dar apoio. Gostei tanto que quero repetir a experiência ano que vem”, diz.

Ela também disse que o investimento foi alto, embora não tenha revelado o valor, mas não se arrepende. “Não queria voltar ao Brasil. Tanto a escola quanto as acomodações superaram minhas expectativas”, ressalta Nelma.

O destino do administrador de empresas Roberto Ali Abdalla e sua família foi outro. Viajou à Califórnia com esposa e quatro filhos em julho do ano passado. Dedicaram três semanas ao curso de inglês e outros quatro ao turismo.

“Gostei de morar quase 30 dias em uma mesma cidade, conhecendo lugares que não conheceríamos se ficássemos uma ou duas semanas”, afirma.

Os lugares mais procurados para a prática de intercâmbio familiar são grandes centros, segundo Tereza Fulfaro, diretora educacional da CI. “Na Europa, a cidade mais procurada é Londres. Já nos Estados Unidos, vemos maior demanda por estados quentes como Boston, Califórnia e Miami. Também observamos grande procura pelo Canadá, principalmente à Toronto e Vancouver”, destaca a especialista.

Nova York também está nos planos dos brasileiros que querem aprender ou aprimorar o inglês. “No STB, por exemplo, Nova York é o segundo destino mais procurado para quem quer fazer intercâmbio familiar. Só perde para Londres”, pondera Marcia.

Já os valores variam de acordo com a acomodação escolhida, duração do curso, número de pessoas e destino escolhido. “Os cursos têm valores similares em quase todos os países. O que difere é a região. A Europa tem um custo de vida mais alto. Logo, o valor gasto em um intercâmbio familiar para a região é mais alto se comparado aos EUA”, completa Tereza, da CI.

Quem pode fazer?

Pessoas que têm do nível básico ao avançado podem fazer um curso de língua no exterior. “Mas quem mais aproveita é quem está em um estágio intermediário a avançado. Essas pessoas conseguem deslanchar no inglês ou em qualquer outra língua quando tem contato, por um determinado período, com nativos. Ajuda bastante”, completa Tereza, da CI.

Fonte – iG 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.