Acre: produção de pescado cresce no Estado

Os programas do governo do Acre que incentivam a piscicultura tanto na capital como no interior já é referência e serve de modelo em todo o país. A execução de novos projetos e o fortalecimento no setor do pescado tiveram início em 2011.

O objetivo da implementação desses programas é atuar de forma integrada em toda a cadeia produtiva através da construção de tanques para aumento da produção visando beneficiar o produtor.

Na Estação de Piscicultura do Estado, localizada na rodovia AC-40, o valor dos alevinos é bem abaixo do preço de mercado. Espécies de peixes como pirapitinga, tambaqui, tambacu, pirauassu e curimatã podem ser comercializadas por R$ 70 – metade do preço comercializado em outros locais, que varia entre R$ 130 e R$ 150.

“O preço do milheiro de alevinos é bem em conta aqui no criadouro. O governo diminui o valor para atender a todos os pequenos produtores e incentiva a criação dos peixes para a comercialização”, comentou o gerente da Estação de Piscicultura, Nivaldo Monteiro.

Ainda de acordo com ele, mais investimentos serão repassados para melhorar a infraestrutura do centro. “A perspectiva é das melhores. Será construído aqui no local um laboratório de pesquisa, para que novas espécies sejam reproduzidas em nossos viveiros”, concluiu.

Monteiro também comentou que o período é de entressafra, e a produção só começa a aumentar a partir do mês de setembro. “Estamos aguardando a safra do pescado, que começa entre setembro e outubro e vai até março e abril do próximo ano. A expectativa é de que sejam comercializados mais de 500 mil alevinos.”

Tempo de desenvolvimento dos peixes

Com a reprodução induzida dentro de 30 a 40 dias, os alevinos já podem ser comercializados. Com ração balanceada no período de um ano, o peixe atinge em média dois quilos e já pode ser consumido.

Fortalecimento da piscicultura no Estado

O Programa de Fortalecimento da Piscicultura acreana atua de forma integrada em toda cadeia produtiva através da construção de tanques para aumento da produção, ações de capacitação e qualificação técnica dos produtores e a implantação de toda uma estrutura industrial.

Os tanques para aumento da produção estão sendo construídos nas propriedades dos pequenos piscicultores, espalhados por todo o Estado. Já os investimentos na estrutura industrial acontecem no Complexo da Piscicultura localizado no quilômetro 29, na BR-364, sentido Rio Branco/Porto Velho.

O Complexo fica localizado em uma área de 60 hectares, onde estão sendo construída uma fábrica de ração, um centro avançado de alevinagem e um frigorífico para processamento de peixe. Esses investimentos terão capacidade de escoar a produção primária do Estado, que apresenta um ritmo de crescimento anual em torno de 15%.

Para construção do local foi criada uma empresa, a Peixes da Amazônia S/A, que tem como sócios investidores privados, o governo do Estado, por meio da Agência de Negócios do Acre (ANAC) e a Central de Cooperativas dos Piscicultores do Acre (Acrepeixe), que representa 2500 famílias de pequenos piscicultores.

Plano Safra da Pesca

Com o Plano, o governo federal investirá mais de R$ 4,1 bilhões, até 2014, em programas que facilitem o acesso ao crédito para os trabalhadores da atividade, aumentem a oferta de assistência técnica e a formação de cooperativas que ajudem a melhorar as condições de armazenagem e a comercialização do pescado. Com as ações, estima-se que a produção nacional chegue a dois milhões de toneladas por ano.

(Por Dell Pinheiro – Ag. Acre)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.