Aberto o processo de cassação do mandato de Eduardo Cunha

Eduardo Cunha que não ode mais renunciar, continua afirmando que é inocente
Eduardo Cunha que não ode mais renunciar, continua afirmando que é inocente
Eduardo Cunha que não ode mais renunciar, continua afirmando que é inocente

Brasília – O Conselho de Ética instaurou no início da tarde desta terça-feira (3) o processo de cassação do mandato do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). A representação de Rede e PSOL contra Cunha chegou ao Conselho de Ética na última quarta-feira (28). Será investigado se o parlamentar cometeu quebra de decoro parlamentar ao dizer à CPI da Petrobras que não possui contas bancárias secretas na Suíça. No encontro, será realizado o sorteio de três deputados. Um deles será escolhido pelo presidente do Conselho, José Carlos Araújo (PSD-BA), para ser relator do caso. O resultado deve sair até quarta-feira (4).

Segundo Araújo, o relator terá 10 dias para apresentação de relatório preliminar. A partir dessa análise prévia, Eduardo Cunha terá o mesmo prazo para defesa. O deputado destaca que todo o processo poderá levar até 90 dias úteis.

À Agência Câmara, José Carlos Araújo afirma que o fato de Eduardo Cunha presidir a Câmara não muda o ritmo do processo: “Antes de ser presidente da Câmara, ele foi eleito deputado. É um deputado como todos nós. Temos 513 deputados nesta Casa. Todos são iguais. Por acaso, ele está como presidente da Câmara, como outro está como primeiro-secretário, segundo-secretário ou vice-presidente, e como eu estou presidente do Conselho de Ética”.

Segundo o jornal Estadão, Araújo adorou a formação atual de blocos partidários para a organização do sorteio que dará origem a uma lista de três nomes de onde será escolhido o relator. Pelo Código de Ética da Casa, não podem assumir a relatoria deputados do Estado, do partido e do bloco partidário do representado, ficando de fora deputados do PMDB, do Rio de Janeiro e do bloco a qual pertence a sigla.

Conselho de Ética da Câmara abre processo de cassação do manandato de Cunha, relator será definido nesta quarta
Conselho de Ética da Câmara abre processo de cassação do manandato de Cunha, relator será definido nesta quarta

Ainda conforme o jornal, havia dúvida sobre qual bloco deveria ser levado em consideração, se o formado para eleição do presidente da Câmara, que inclui PMDB e outros 12 partidos, ou o novo, composto por PMDB e PEN. Segundo Araújo, valerá o bloco atual.

A decisão abre espaço para que deputados aliados e integrantes de partidos próximos a Cunha participem do sorteio, ampliando as chances de um parlamentar pró-Cunha assumir a relatoria. A decisão poupa da restrição nomes de PTB (1), PP (2), PSC (1), PRB (1), DEM (1) e Solidariedade (1).

Amazonianarede-Agencias

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.