A prática do basquete funciona com inclusão social no Iranduba

Iranduba – O futebol pode até ser a paixão nacional, mas os sonhos dos jovens cientistas que se reúnem duas vezes por semana na Escola Estadual Senador João Bosco Ramos de Lima, no município de Iranduba, localizado a 27 km de Manaus, estão voltados para outro esporte: o basquete.

Por meio do professor Emmanuel Araújo Ribeiro Júnior foi implantado o projeto “O Basquete como inclusão social de crianças e jovens no município de Iranduba” que faz parte do Programa Ciência na Escola (PCE) e tem como principal objetivo favorecer aos jovens pesquisadores a prática desportiva como forma de iniciativa que privilegie o ensino prático do basquetebol, como alternativa de instruir e aliar a sua prática ao desenvolvimento da cidadania e do convívio social, aprimorando assim o esporte como forma cultural.

O basquete escolar foi criado com a finalidade de integrar os alunos, promover a inclusão social, utilizando o esporte como instrumento para alcançar esses objetivos. O basquete é um esporte diferente de outros de quadra, é mais ativo, pois todos os jogadores atacam e defendem, estão todos correm bastante o basquete incentiva a socialização por ser um esporte de grupo onde todos devem colaborar para o time vencer.

O momento lúdico do jogo proporciona as pessoas uma maneira de expor seu comportamento e até de corrigi-lo algumas vezes, por isso a importância do jogo na vida das pessoas podendo acrescentar e melhorar a qualidade de vida. O esporte é um poderoso utensílio de desenvolvimento humano. A boa técnica esportiva educa, proporcionando saúde, disciplina, cidadania, valores éticos, entre outros.

Nesse sentido é relevante salientar a importância que o esporte apresenta na vida das pessoas. De acordo com o coordenador responsável do projeto o basquete “Estimula valores como respeito ao próximo sabendo ganhar e perder, honestidade e cumprimento das regras, capacidade de superar desafios. Trabalha ainda o lado psíquico onde o atleta deve pensar rápido e usar o raciocínio para criar jogadas e se antecipar nas ações do adversário”, afirmou.

Para os jovens cientistas, a oportunidade da prática estimula ainda mais o aprendizado, trabalhando a timidez e facilitando a interação com os demais colegas, busca promover a educação através do esporte, ajuda a desenvolver o raciocínio, a coordenação motora, a atenção, incentivo a prática física e mental, a oportunidade da prática estimula ainda mais o aprendizado, trabalhando a timidez e facilitando a interação com os demais colegas.

O projeto destina-se a atender alunos do ensino fundamental e médio no período inverso ao escolar, através da prática esportiva desde que estejam matriculados e com frequência escolar satisfatória.

Sobre o PCE

O Programa Ciência na Escola (PCE) é uma iniciativa do Governo do Estado do Amazonas, financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM).

O programa consiste estimular a alfabetização cientifica e tecnológica, apoiar a participação de professores e estudantes da Educação básica e de Jovens e Adultos (EJA) em projetos de pesquisa desenvolvidos nas escolas públicas estaduais e municipais do Amazonas. (Fonte: pceamazonas)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.