A lanterna chinesa que dá choque é vendida livremente no comércio popular do Brasil

A lanterninha chinesa, que vira arma de dar choque
A lanterninha chinesa, que vira arma de dar choque
A lanterninha chinesa, que vira arma de dar choque

Brasil-  Lanternas que dão choque são vendidas livremente na região da rua 25 de Março, no centro de São Paulo, por preços entre R$ 60 e R$ 120. Os ambulantes afirmam que os principais compradores são homens e mulheres interessados em defesa pessoal, contra assaltos. “Se tocar muito tempo numa pessoa, derrubada – disse o vendedor.

Essa arma, de fabricação chinesa, com o manual escrito em chinês, está sendo comercializada em várias capitais brasileiras, a um preço médio que varia entre R$ 600 à 90,oo. Em Manaus, a reportagem fez uma verificação no comercio popular e ainda não encontrou as lanternas, que deverão estar à caminho a caminho.

O choque emitido pela lanterna pode chegar a 2,5 amperes, conforme detalhado no manual de instruções. Segundo eletricistas, um choque de 0,3 amperes já pode causar a morte, dependendo do tipo físico da pessoa, das roupas que ela usa e do tempo a que é submetida ao choque.

O cardiologista Alexandre Soeiro, diretor do Setor de Emergências do Instituto do Coração, diz que choques elétricos podem causar queimaduras externas e internas. “A pessoa pode sofrer uma arritmia por conta da força [do choque elétrico] e sofrer parada cardíaca”, afirma.

O uso de armas de choque é exclusivo das Forças Armadas e de órgãos, agentes e empresas de segurança pública. O Exército afirmou que esse tipo de lanterna de choque não é um produto controlado pelo órgão porque “não se caracteriza como uma arma de choque de elétrico”.

A Polícia Militar disse que quem utilizar a lanterna de choque pode responder criminalmente pelas lesões que causar a quem for ferido.

Amzonianarede-Folhapress

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.