Vettel vence e é o tetra mais novo da história da F1

(Reportagem: André Spigariol)

Sebastian Vettel escreveu mais um capítulo na história da Fórmula 1: venceu o GP da Índia e se consagrou como o tetracampeão mais jovem da história da categoria. Aos 26 anos, o piloto da Red Bull leva o Mundial pelo quarto ano seguido: 2010, 11, 12 e 13. Este também é um recorde: tetracampeão consecutivo mais jovem da história.

O alemão entra para um time que até então só tinha Alain Prost (1985, 86, 89, 93); os dois agora têm o terceiro maior número de títulos mundiais. Se conquistar mais um campeonato, Vettel se iguala a Juan Manuel Fangio. Foi também o 11º título da Alemanha no mundial de pilotos e o 11º conquistado por um motor Renault.

E assim terminou o GP da Índia: vitória de Vettel e tetracampeonato mundial consecutivo. Rosberg completou em segundo, Grosjean em terceiro conseguiu fazer funcionar a estratégia de três paradas, enquanto Felipe Massa bateu na trave de conseguir um pódio, completando em quarto. Pérez foi o quinto, repetindo o melhor resultado da McLaren no ano à frente de Lewis Hamilton. Kimi Raikkonen não conseguiu fazer a estratégia de uma parada, mas conseguiu alguns pontinhos, com o sétimo lugar. Di Resta, Sutil e Ricciardo completaram o top-10.

Como foi a corrida na Índia

Na largada, Hamilton acelerou mais rápido e tentou a ultrapassagem sobre Vettel na curva 1, assim como Rosberg. Felipe Massa pulou para quarto e logo em seguida fez uma bela manobra sobre as duas Mercedes, saltando para segundo de uma vez. Mais atrás, Alonso ia se enroscando com Button e Pérez, perdendo um pedaço da asa dianteira.

E Vettel já ia sumindo na frente na segunda volta, quando foi chamado para os boxes pela Red Bull. Não ficou claro se era estratégia ou problema, já que o alemão entrou no pitlane de forma esquisita, balançando o carro como se tivesse um furo nos pneu. Alonso também parou, para trocar pneus e a asa quebrada. Melhor para Massa, que assumia a liderança neste momento. Com pneus macios, o brasileiro tinha que acelerar para fazer a estratégia funcionar.

Massa foi chamado na nona volta e fez sua parada no mesmo giro de Hamilton, porém saiu atrás de Vettel e Bottas, em oitavo. Em sexto, Vettel já era o virtual líder da prova, considerando os carros com pit-stop pendente. A situação não era boa para Button, que tinha um pequeno furo de pneu e teria que parar mais uma vez. Na 12ª volta, os dez primeiros estavam assim: Webber, Pérez, Ricciardo, Vettel, Grosjean, Sutil,Gutiérrez, Massa, Rosberg e Bottas. Enquanto isso, as paradas ainda estavam acontecendo, até que a ordem fosse reestabelecida.

Na volta 16, seis carros entre os dez primeiro ainda não tinham parado: Webber, Pérez, Ricciardo, Sutil, Gutiérrez e Bottas. Gutiérrez, neste momento entrou para cumprir um drive-through por queima de largada. Felipe Massa se deu bem com isso, pois estava preso atrás da Sauber e ia vendo Vettel se distanciar mais ainda. Na 18ª passagem, o virtual tetracampeão já era terceiro, mesmo sem as paradas pendentes acontecerem. Ao mesmo tempo, Alonso ia brigando por posições nomeio do pelotão, fora da zona de pontuação.

Na 20ª volta, os pontuáveis estavam assim: Webber, Pérez, Vettel, Ricciardo, Sutil, Massa, Rosberg, Hamilton, Bottas, Hulkenberg. Uma volta mais tarde, Vettel passou o mexicano. Na 24ª passagem, Rosberg se atirou para cima de Massa, mas passou reto na freada da curva 4 e abriu espaço para o xis do brasileiro.

Com 29 giros, Webber finalmente parou e trocou seus pneus médios cansados por pneus macios novos, retornando à pista em segundo, atrás de Vettel. Pérez também parou da terceira posição e também colocou macios, voltando em sétimo. Uma volta mais tarde, o mexicano – com pneus mais novos – deixou Hamilton para trás. E na 31ª Massa e Hamilton entraram nos boxes para suas segundas paradas, assim como Vettel. Reagindo à estratégia do companheiro, Webber parou na 33ª, caindo para segundo.

Com 37 voltas completadas, os dez primeiros estavam assim: Vettel, Webber, Raikkonen, Sutil, Rosberg, Grosjean, Massa, Ricciardo, Hamilton e Pérez. Raikkonen ainda precisava fazer sua última parada, Sutil ainda sequer tinha feito a primeira. Grosjean tinha apenas uma, assim como Ricciardo, que parou na 39.

Na 39ª passagem, as coisas ficaram piores para Webber, que perdeu a sexta marcha de sua Red Bull e acabou abandonando a corrida. Mas a Red Bull informou que o problema não foi câmbio, mas sim alternador. Na 41ª, Sutil finalmente parou e precisava fazer 18 voltas com pneus macios, voltando em nono.

Com 52 voltas, os dez primeiros eram: Vettel, Raikkonen, Rosberg, Grosjean, Massa, Hamilton, Pérez, Hulkenberg, di Resta e Sutil. A Lotus tentava uma estratégia de uma parada apenas, com Raikkonen e Grosjean. O finlandês perdeu a segunda posição para Rosberg e ficou com o terceiro lugar, logo à frente do companheiro, mas vinha muito lento, perdendo dois segundos por volta. Na volta 56, Grosjean e Massa encostaram em Raikkonen e passaram. Massa tinha pneus mais novos e a oportunidade de ganhar a terceira posição.

Aí foi a vez que Hamilton e Pérez deixarem Raikkonen para trás. O mexicano aproveitou e passou os dois de uma vez, na volta 58. Na penúltima volta, o piloto da Lotus foi obrigado a ir para o box, sem pneus para continuar. E assim terminou o GP da Índia: vitória de Vettel e tetracampeonato mundial consecutivo. Rosberg completou em segundo, Grosjean em terceiro conseguiu fazer funcionar a estratégia de três paradas, enquanto Felipe Massa completou em quarto.

Confira o resultado do GP da Índia:

1) Sebastian Vettel (ALE/Red Bull), 2 pit-stops
2) Nico Rosberg (ALE/Mercedes GP), 2
3) Romain Grosjean (FRA/Lotus), 1
4) Felipe Massa (BRA/Ferrari), 2
5) Sergio Perez (MEX/McLaren), 2
6) Lewis Hamilton (ING/Mercedes GP), 2
7) Kimi Raikkonen (FIN/Lotus), 2
8) Paul di Resta (ESC/Force India), 2
9) Adrian Sutil (ALE/Force India), 1
10) Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso), 2
11) Fernando Alonso (ESP/Ferrari), 3
12) Pastor Maldonado (VEM/Williams), 2
13) Jean-Eric Vergne (FRA/Toro Rosso), 2
14) Jenson Button (ING/McLaren), 4
15) Esteban Gutierrez (MEX/Sauber), 3
16) Valtteri Bottas (FIN/Williams), 2
17) Max Chilton (ING/Marussia), 2
18) Jules Bianchi (FRA/Marussia), 2
OUT) Nico Hulkenberg (ALE/Sauber), 4
OUT) Mark Webber (AUS/Red Bull), 2
OUT) Charles Pic (FRA/Caterham), 3
OUT) Giedo van der Garde (HOL/Caterham), 1.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.