Verão amazônico exige cuidados especiais com as crianças

(Amazonianarede com informações da Sociedade Brasileira de Pediatria)

O forte calor provocado pelo verão na Região Amazônica, já é conhecido por todos que vivem em suas cidades.

Normalmente, durante os meses de setembro e outubro, as temperaturas passam dos 40º quase diariamente.

O verão acaba fazendo vítimas, em maior potencial as crianças, que lotam os hospitais e os Serviços de Pronto Atendimento – SPAs -, com sintomas da desidratação, falta de líquido no organismo e que pode levar à morte.

Sintomas da desidratação

A desidratação é caracterizada pela baixa quantidade de líquidos e sais minerais no organismo. Os sintomas de desidratação na criança são:

• Ficar muito tempo sem urinar;
• Irritabilidade ou apatia;
• Pele seca, sem brilho e sem elasticidade;
• Boca seca, sem cor;
• Lábios rachados;
• Língua suja (saburrosa ou pegajosa);
• Olhos fundos, encovados e secos.

A desidratação é causada pela perda de água e de sais minerais pelo corpo, e de acordo com a sua gravidade pode ser classificada como sendo leve, moderada ou grave e seu tratamento é feito através da reidratação com soro fisiológico pela veia ou com a toma do soro caseiro.

A seguir, algumas dicas para ter um verão sem problemas:

Alimentação no verão

Prefira os alimentos naturais e frescos, mas certifique-se que folhas, verduras e legumes foram bem higienizados. Frutas como melancia, melão, abacaxi, manga, laranja, uva e kiwi são uma boa pedida porque contêm alto teor de vitaminas e líquidos.

Tente evitar produtos industrializados. Nem sempre o processo de preparação, conservação e refrigeração é conhecido, o que pode oferecer riscos à saúde.

Hidratação

Manter o corpo hidratado, especialmente o das crianças, é fundamental no verão para evitar a desidratação. O consumo de água deve ser reforçado, embora não exista uma quantidade extra ideal.

Os pais devem oferecer água e sucos naturais regularmente durante todo o dia, principalmente quando os pequenos estiverem no sol. É importante não esperar que a criança peça água, porque quando ela sente sede, já pode estar desidratada.

Quanto menos idade, maior deve ser o cuidado com a hidratação. Uma das maneiras de avaliar se a criança está precisando de mais água é observar a cor da urina e a frequência com que ela faz xixi. A cor escura e o pouco volume podem ser sinais de falta de ingestão de água.

Proteção solar

Basta um descuido na aplicação do protetor solar para que a pele sensível dos pequenos fique vermelha.

Para evitar que seu filho sofra com as ardências ou lesões, não o leve à praia no horário do sol forte (das 10 às 16 horas). Aplique com a palma das mãos e uniformemente o protetor solar com FPS de, no mínimo, 20 a cada duas horas.

Caso a pele seja bem clarinha, é ideal usar um fator 30 ou 50. O produto deve ser reaplicado depois que a criança sair da água ou após suar bastante. Reforce a proteção com roupas claras e fresquinhas, chapéus de abas largas e óculos escuros.

Bebês com menos de um ano de idade merecem cuidado extra. Devem ser expostos ao sol até as 10h. Se notar algum destes sintomas (febre, sede intensa, pele seca sem elasticidade, olhos fundos, ausência de lágrimas e moleira baixa), procure um pediatra.

Apesar de serem responsáveis pela metabolização e síntese da vitamina D, além (vitamina responsável pela fixação do cálcio nos ossos) os raios do sol podem causar danos graves . Se a criança não for bem protegida, olhos e pele podem ser os órgãos mais prejudicados.

Brincadeiras na água

Para evitar o risco de acidentes no mar ou na piscina, um adulto sempre deve supervisionar as atividades das crianças. Além de prevenir, a presença constante estreita os laços entre pais e filhos.

Use boias compatíveis com o peso e a idade. Se os olhos ficarem vermelhos ou ardidos, lave-os com água fervida. Se a irritação persistir, procure um médico.

Protetores auriculares são bem-vindos para evitar que a água entre no ouvido. Algodões levemente embebidos em óleo também ajudam.

Cansaço no fim do dia

Com tantas possibilidades para aproveitar o clima ao ar livre, as crianças podem se queixar de cansaço no fim do dia. Para minimizar, dê um banho morno e, se possível, ofereça um banho de banheira para os músculos relaxarem com mais facilidade.

Alimentos frescos, hidratação constante e uma boa noite de sono ajudam os pequenos a recuperarem o fôlego para mais um dia de brincadeiras.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.