Tráfico de Mulheres no Amazonas debatido durante Audiência Pública

Manaus – O tráfico de mulheres no Amazonas foi tema de uma Audiência Pública realizada nesta segunda-feira (22), na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALEAM), por meio da Comissão da Mulher, das Famílias e do Idoso da instituição, presidida pela deputada estadual Conceição Sampaio (PP).

Participaram do evento, representantes de órgãos públicos e de movimentos sociais que atuam no apoio às vítimas e no combate a este crime, que segundo dados das Nações Unidas movimenta aproximadamente $ 32 bilhões por ano.

“O tráfico de seres humanos é um assunto mundial, temos a geração de $ 32 bilhões por ano, então a gente vê que este é um comércio ilegal que dá muito lucro. O Amazonas está na rota de tráfico, então precisamos trazer essa discussão pra dentro de uma casa de leis, ver a necessidade de ter uma legislação muito mais endurecida em relação a quem pratica esse comércio ilegal”, explicou Conceição Sampaio.

A parlamentar destacou ainda o trabalho que vem sendo desenvolvido pelo governo estadual e pela prefeitura de Manaus no enfrentamento ao tráfico de seres humanos. “Esse é o momento de conhecer de perto o núcleo e o comitê de enfrentamento a esse tipo de tráfico, que o Amazonas já está realizando através da Secretaria de Justiça e o próprio município de Manaus, que também está nessa luta. E o dia de hoje tiramos justamente para conhecer estas atividades e saber onde a população pode buscar ajuda”, declarou.

O Amazonas conta com Comitê de prevenção e enfrentamento ao tráfico de pessoas, ligado à Secretaria de Justiça (Sejus). Segundo a representante do órgão, Michele Custódio, a estrutura disponível inclui um núcleo de enfrentamento implantado, 13 postos avançados de atendimento humanizado ao migrante e dois postos que serão implantados nos terminais de passageiros do aeroporto internacional Eduardo Gomes.

De acordo com Michele Custódio, também estão em fase de elaboração a política estadual e o plano estadual de enfrentamento ao tráfico de pessoas, além de uma campanha de prevenção que será realizada ainda este ano. “Uma vez informadas, estas mulheres dificilmente cairão na rede do tráfico. Para isso, iremos lançar uma campanha estadual e estamos também atuando na capacitação dos profissionais das três esferas de governo para que os gestores públicos, dotado dessa informação, possam com um olhar mais clínico atuar na repressão e atenção a essas vítimas, bem como transmitir essas informações às comunidades”, afirmou.

O delegado Henrique Brasil, representando a Secretaria de Estado de Segurança Pública, informou que um levantamento sobre este tipo de ilícito vem sendo feito pela Secretaria de Inteligência e que este trabalho de identificação dos criminosos tende a se intensificar com parcerias firmadas com a sociedade civil organizada e dos entes federados. O delegado disse ainda que a abordagem dos traficantes se baseia no perfil da vítima.

Fonte: Diretoria de Comunicação

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.