SJPAM e SDS lançam o prêmio de Jornalismo “Onça Pintada”

Amazonianarede – SDS

Manaus – O Governo do Amazonas por meio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SDS), em parceria com o Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado do Amazonas (SJPAM) – Núcleo de Jornalismo Ambiental do Amazonas (Nejam) lançou na manhã desta segunda-feira, dia 4, o Prêmio Onça-Pintada de Jornalismo.

A iniciativa faz parte da programação de comemoração dos 10 anos de criação da SDS, e visa premiar trabalhos jornalísticos nas categorias de Rádio, TV, Impresso, Internet, Acadêmicos de Jornalismo, Fotojornalismo e Reportagem Cinematográfica, desenvolvidos a partir do tema “Sustentabilidade”. O edital vai estar disponível a partir desta terça-feira, dia 5, no site da SDS ( www.sds.am.gov.br).

O evento conta, ainda, com o apoio institucional do Instituto Leônidas e Maria Deane – Fiocruz Amazônia, Instituto Eco da Amazônia e Associação dos Dirigentes de Marketing do Brasil (ADVB).

O objetivo é premiar trabalhos jornalísticos desenvolvidos a partir do tema “Sustentabilidade”, que despertem para a importância da conservação e preservação ambiental, como condição para uma melhor qualidade de vida. Além disso, estimular profissionais e acadêmicos da área a inserir cada vez mais em suas pautas o tema, ampliando, dessa forma, o debate junto à sociedade.

A titular da SDS, Nádia Ferreira, ressalta a importância da simbologia do prêmio e do incentivo a participação de jornalistas no debate sobre o tema sustentabilidade. “A onça tem seu simbolismo associado à forca e poder, a exemplo do jornalismo, que tem a força de mobilizar as pessoas para lidar com as noticias. Nosso objetivo é de que o tema sustentabilidade seja uma pauta sempre presente nos noticiários, seja para denunciar, informar ou esclarecer, além de chamar a atenção para a espécie, que, atualmente, se encontra ameaçada de extinção, inserida na categoria vulnerável, ou seja, em risco elevado de extinção”, explica Nádia Ferreira.

O presidente do sindicato Wilson Reis, destaca a necessidade de inovação a partir do conhecimento em pautas nesse segmento. “Acredito ser de fundamental importância os profissionais de jornalismo trabalharem a questão da sustentabilidade de forma transversal, investir, e ter esse olhar do mundo moderno sempre em transformação, em movimento. O concurso visa estimular essa busca pelo conhecimento”, afirma Reis.

Inscrições – As inscrições iniciam no dia 10 de março e encerram-se no dia 10 de abril de 2013. Os interessados em participar deverão ler o Edital disponível no sítio da SDS (www.sds.am.gov.br) e seguir a orientação por categoria. A premiação está avaliada em R$ 32 mil reais, sendo R$ 5 mil para o primeiro lugar nas categorias profissionais e R$ 2 mil para o primeiro lugar na categoria Acadêmicos de Jornalismo.

Sustentabilidade – Para a comissão julgadora entende-se como Sustentabilidade todo o conjunto de elementos que viabiliza e determina as condições de vida no planeta, em especial o ar, a terra e a água. Serão levadas em conta, nas quatro categorias, matérias que registrem denúncias e/ou soluções na luta pela melhoria das condições sociais, ambientais e econômicas no Estado e no desenvolvimento de tecnologias ligadas às ciências do meio ambiente no Amazonas.

Homenagem – O nome do Prêmio “Onça-Pintada” (Panthera onça) chama a atenção para a importância de preservação da espécie, inserida na lista de espécies ameaçada de extinção, na categoria Vulnerável, classificada como “quase ameaçada” (IUNC, 2008).

A Onça-Pintada exerce importante função ecológica para a manutenção do equilíbrio dos ambientes onde ocorre, principalmente por regular o tamanho das populações de suas espécies presas como, por exemplo, queixadas, catitu, capivaras, o tamanduá-bandeira e a anta, e em outras, se alimentam de répteis, como a tartaruga e o jacaré. É um animal que exige extensas áreas preservadas para sobreviver e se reproduzir. Dessa forma, a onça-pintada é considerada uma espécie guarda chuva, pois suas exigências ecológicas englobam todas as exigências das demais espécies que ocorrem no seu ambiente.

A Amazônia é, atualmente, o maior refúgio para a onça-pintada ao longo de toda a sua distribuição. Nos demais ambientes, a fragmentação de habitat e o consequente isolamento de suas populações são as maiores ameaças para a espécie.

O Estado do Amazonas representa uma grande porção da Amazônia brasileira e 54% do estado são de áreas protegidas incluído Unidade de Conservação Federal, Estadual e Terras Indígenas, sendo que Unidades de Conservação Estadual representam 12% (aproximadamente 19 milhões de ha). Essa grande área protegida garante a proteção da onça pintada, de seu habitat e de suas presas.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.