Projeto para a construção de 72 escolas deve ser aprovado até maio

Meta da PMM é melhorar posição de Manaus no Ideb
Meta da PMM é melhorar posição de Manaus no Ideb

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, recebeu nesta sexta-feira, 11, a garantia de que até maio o projeto, que prevê a construção de 72 novas unidades de ensino em Manaus, deverá ser aprovado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). A definição veio depois de uma reunião entre o prefeito, representantes do BID e da Secretaria Municipal de Educação (Semed).
A meta é que, até 2016, sejam construídos 43 novos Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis) e 29 Escolas Municipais de Ensino Fundamental (Emefs).

Segundo o prefeito, as negociações começaram em outubro do ano passado e, neste primeiro trimestre, ganharam mais celeridade. O projeto faz parte da “virada pedagógica” proposta pela prefeitura, que deverá melhorar a posição de Manaus no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

“Essa é apenas uma das medidas para promovermos uma verdadeira virada na educação em Manaus. Estamos inovando na gestão e, brevemente, as mudanças serão sentidas para melhor, sobretudo, após o exame nacional feito pelo Ministério da Educação (MEC), onde se manifestarão o teor e a qualidade das mudanças que estamos implementando”, afirmou o prefeito Arthur Virgílio Neto.

O projeto faz parte do Programa de Expansão e Melhoramento Educativo (Proemem) com investimentos de U$ 208 milhões, sendo U$ 108 milhões do BID e U$ 100 milhões de contrapartida da Prefeitura Manaus. Além da construção de novas escolas da rede municipal, o programa também é voltado para o aprimoramento pedagógico com cursos de qualificação para professores e aulas de reforço para alunos.

Segundo o secretário da Semed, Humberto Michiles, até 2015 o município estará com 30 a 40 escolas com obras licitadas ou iniciadas. “Vamos iniciar, por exemplo, algumas desapropriações agora em maio. Esperamos que no ano de 2016, tenhamos de 60 a 70 escolas já sendo inauguradas ou em fase de conclusão das obras. Isso acabará com a necessidade da rede municipal ter prédios alugados”, declarou Michiles.

“Achamos que esse projeto terá um efeito importantíssimo, a médio e longo prazo, na progressão escolar e no processo de aprendizagem. Não podemos esquecer que também será um impacto bastante positivo para as mães que, com essa oferta, terão expandidas suas possibilidades de ascender no mercado de trabalho”, defendeu o líder em Educação do BID, Marcelo Pérez Alfaro.

A expectativa é que até o final deste ano os recursos estejam disponíveis para o município. Depois da assinatura do convênio com o BID, pré-agendada para maio deste ano, a próxima fase é a liberação do repasse junto à Secretaria do Tesouro Nacional, do Governo Federal.

Texto: Alita Falcão – Foto: Arlesson Sicsú

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.