Presidiários do Amazonas encaram o Enem

Mais de 500 presos do Amazonas, fazem as provas do Enem
Mais de 500 presos do Amazonas, fazem as provas do Enem
Mais de 500 presos do Amazonas, fazem as provas do Enem

Amazonas – A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) inscreveu 574 pessoas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para Pessoas Privadas de Liberdade (PPL). As provas começam a ser realizadas nesta terça-feira (1º) e encerram nesta quarta (2). No total, 19 unidades estão recebendo as provas. Entre os candidatos, 446 são de unidades prisionais da capital, os demais estão em presídios do interior localizados em Coari, Humaitá, Parintins, Itacoatiara, Maués, Tabatinga e Tefé.

As provas iniciaram às 11h. O exame segue o mesmo padrão aplicado aos alunos regulares do Ensino Médio realizado em outubro deste ano. Cada unidade tem um responsável pedagógico, que realizou a inscrição via internet e também deverá conferir o resultado e comunicá-lo ao candidato.

Do total de inscritos esse ano, 500 são homens e 74 mulheres. Desde 2012 os detentos do Amazonas participam do Enem. No primeiro ano foram inscritos 234 pessoas e, em 2013, 340 pessoas participaram. No ano passado, o número também aumentou e 473 pessoas privadas de liberdade realizaram a prova.

Para o secretário de estado de Administração Penitenciária, Pedro Florêncio,  o exame é um meio de abrir novas oportunidades aos presos.  “Nós sabemos que por meio da educação estamos dando uma chance aos detentos. Uma vez no ensino superior, por exemplo, dificilmente essa pessoa retorna ao crime. Com o Enem eles podem conseguir também a certificação do ensino médio que, por sua vez, abre portas para o ensino profissionalizante, ajudando na recuperação”, afirmou.

Por meio da Seap, a segurança nas unidades prisionais para evitar fraude no exame foi reforçada e a Central de Operações e Controle (COC) do sistema prisional está sendo realizada para o monitoramento das unidades por meio de câmeras. A Coordenação do Sistema Prisional (Cosipe) está dando o suporte necessário na logística dos presos.

Os responsáveis pedagógicos  são responsáveis também  pelo encaminhamento dos candidatos ao Sisu (Sistema de Seleção Unificada) e demais sistemas relacionados à educação superior. Dependendo da nota obtida na prova, os inscritos poderão pedir a certificação do Ensino Médio ou concorrer a uma vaga de curso de ensino superior pelo Sisu ou Prouni. Nas duas situações, os responsáveis pedagógicos farão contato com as famílias para cuidar da documentação.

Preparação Os detentos puderam se preparar para o exame com o auxílio do projeto “Bambu”, que é realizado no regime fechado masculino, das 8h às 13h, dentro da Biblioteca da unidade prisional. O Bambu teve início em fevereiro deste ano. As aulas aconteciam  de segunda a sexta, com monitores voluntários. A cada três dias de aulas, os participantes podem ter um dia de pena reduzido, após a avaliação de um juiz.  De acordo com o coordenador do projeto, o psicólogo Valter Sales, o foco era aumentar a média das notas dos internos.

“Eu era o responsável por fazer as inscrições dos internos no Enem e conseguíamos um número bem significativo, porém o resultado não dava margem para que eles competissem. Então, pensamos em uma alternativa para tentar ajudá-los a se preparar, ter um grupo de estudo onde eles pudessem discutir temas pertinentes ao exame”, explicou.

Além do Enem, o projeto também prepara os detentos para o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja), com uma turma no período vespertino.

Amazonianarede-TVAM

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.