Polícia Civil prende mulher foragida da operação “Gaia – Deusa da Terra”

(Foto: Ascom)

A Polícia Civil do Amazonas, por meio da equipe de investigação do 27º Distrito Integrado de Polícia (DIP), sob o comando do Delegado Titular, Rodrigo Bona, prendeu Edileuza Santana da Silva, 46, foragida da operação “Gaia – Deusa da Terra”, deflagrada no dia 24 de abril deste ano.

A mulher é suspeita de envolvimento em quadrilha que vendia terrenos irregulares no loteamento Águas Claras, na Zona Norte da cidade.

Após denúncias anônimas, Edileuza foi presa por volta das 13h de ontem, num salão de beleza localizado na avenida Autaz Mirim, bairro Tancredo Neves, Zona Leste da capital, em cumprimento de mandado de prisão preventiva expedido no dia 15 de abril deste ano pela juíza da 7ª Vara Criminal, Careen Aguiar Fernandes.

“Começamos a realizar as diligências para averiguar as denúncias feitas aqui na delegacia e ontem obtivemos êxito na prisão de Edileuza, que estava sendo procurada pela Polícia Civil”, declarou o Delegado Rodrigo Bona, que coordenou a ação.

Edileuza responderá por estelionato, formação de quadrilha e crime contra a administração pública (grilagem de loteamento). Após os trâmites realizados na unidade policial, ela será conduzida para a Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, onde irá aguardar decisão da Justiça.

Rodrigo Bona ainda ressaltou que sete pessoas envolvidas nesse esquema estão sendo procuradas. Ele pede a colaboração da população para localizar os foragidos da Justiça Domingos Tavares da Costa, 50, Ellis Suerlen da Silva Oliveira, 35, Hozana Carvalho de Oliveira, 53, Itamar Nogueira Bechara, 41, Libna Barbosa de Carvalho, 48, Priscila Lima Menezes, 31, e Syrslane Ferreira Navegante Santos, 39.

Quem puder colaborar com informações sobre o caso, entrar em contato pelos números (92) 3646-2054 ou 3636-1503. A Polícia Civil assegura o sigilo da identidade dos informantes.

Operação “Gaia – Deusa da Terra”

Doze pessoas foram presas durante a operação “Gaia – Deusa da Terra”, deflagrada por Policiais Civis na manhã do dia 24 de abril deste ano, por volta das 6h, nos bairros Adrianópolis e Parque 10 de Novembro, na Zona Centro-Sul; Mutirão e Parque das Nações, na Zona Norte; Japiim, na Zona Sul; e Ponta Negra, na Zona Oeste da cidade.

O coronel Berilo Bernardino de Oliveira, 45, lotado na época no Comando Geral da Polícia Militar; Alcineide de Oliveira Barbosa, 51; Elias Fernandes Carvalho, 62; Jean Cláudio Lima Sombra, 41, que se passava por juiz federal; Denise Ribeiro dos Reis Carvalho, 42; Maria Silma Lima Braga, 51; o marido de Silma, Ozeias Silva de Carvalho, 54; Jordan Mota da Silva, 40; Denise Lima Menezes, 30, e a irmã dela, Patrícia Lima Menezes, 29; Janilton Gomes de Araújo, 52, e Adriane Oliveira, 43, foram presos durante a operação policial.

Todos eles são acusados de participar de uma quadrilha especializada em vender várias vezes os mesmos terrenos no loteamento Águas Claras, na Zona Norte.

“Começamos a investigar a quadrilha há um ano e quatro meses, após vários boletins de ocorrências serem registrados aqui na delegacia com as mesmas características. Tivemos o apoio de servidores do Ministério Público nas investigações. A renda da quadrilha girava em torno de R$ 1 milhão. Eles enganavam pessoas de todas as classes sociais”, ressaltou, na ocasião, Rodrigo Bona.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.