Opção para o CBA é tornar-se instituição público-privada

(Reportagem e foto: Layana Rios)

Em visita a Manaus, o secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Ricardo Schaefer, reuniu-se com o superintendente da Zona Franca de Manaus, Thomaz Nogueira, no Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA), para discutir o modelo de gestão que deverá dar personalidade jurídica à entidade.

Segundo Schaefer, o objetivo da reunião foi completar o diálogo e a interlocução junto aos atores do tema biotecnologia na Amazônia, no sentido de avançar, ainda neste ano, com a constituição do novo CBA. “Vamos criar uma instituição público-privada, através de uma associação, que vai se qualificar numa organização social com a atribuição de gerir o CBA dentro de um modelo de negócios que nós já temos consensualizado”, afirmou o secretário-executivo.

Além de Schaefer e Nogueira, participaram da reunião o secretário de Inovação do MDIC, Rafael Marques; o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), Antônio Silva; o presidente do Centro das Indústrias do Estado do Amazonas (Cieam), Wilson Périco; os superintendentes-adjuntos da SUFRAMA, José Nagib Lima, (Planejamento e Desenvolvimento Regional) e Adilson Vieira (Operações); e os pequisadores do CBA Antônio Lapa, responsável pelo laboratório de Farmacologia, Toxologia e Biotério, e Tetsuo Yamani, responsável pelo laboratório de Biologia Molecular.

Para o superintendente Thomaz Nogueira, a reunião foi extremamente importante para dar o encaminhamento à constituição jurídica do CBA. “A autonomia do CBA será um grande passo para o avanço da biotecnologia na região, com foco na aplicação direta no Polo Industrial de Manaus”, afirmou.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.