Lama mineira da barragem de Mariana chega ao Espírito Santo

A lama mineira já está no Espirito Santo
A lama mineira já está no Espirito Santo
A lama mineira já está no Espirito Santo

Espírito Santo – A lama mineira de Mariana, com os rejeitos do rompimento da barragem de Mariana, chegou ao estado do Espírito Santo nesta madrugada, atingindo o município de Linhares. E deverá chegar nas próximas horas a outros municípios na foz do Rio Doce, como Baixo Guandu e Colatina, que se preparam como podem para enfrentar o grande problema ambiental.

De acordo com o CPRM, as mudanças acontecem porque a lama possui velocidades diferentes dependendo das condições que encontrar nos diferentes trechos do Rio Doce.

Assim que os rejeitos chegarem aos municípios capixabas de Baixo Guandu e Colatina o abastecimento de água será interrompido. Representantes do governo do estado e prefeitos dos dois municípios têm realizado reuniões constantes para planejar e executar ações.

De acordo com o secretário estadual de Saneamento, Habitação e Desenvolvimento Urbano, João Coser, uma estrutura foi montada para auxiliar os municípios.

“A nossa equipe está identificando lagoas e rios aqui perto e já temos alguns pontos para captação de água bruta para Colatina e Baixo Guandu. Estamos monitorando estruturas com os caminhões para que essa água chegue até as estações de tratamento. Ao mesmo tempo, a cidade de Linhares ofertou água tratada em uma proporção bastante significativa para cá”, afirmou.

Coser ainda explicou que já foram conseguidos cerca de 30 carros-pipa para transportar a água. “Neste momento, nós já temos 16 carros-pipa com condições de buscar água tratada em Linhares e a mesma quantidade para buscar a água bruta em alguns pontos. A água bruta é mais próxima e ela chega na estação e vai ser distribuída por toda a população”.

Colatina

De acordo com o prefeito de Colatina, Leonardo Deptulski, as equipes que vão realizar o transporte estiveram no local de captação e já acertaram a parte operacional. “Acho que vai ser possível manter entre 20% e 30% do que a gente trata normalmente quando capta no Rio Doce”, disse. Ainda não há uma previsão do tempo que o município de Colatina vai ter o abastecimento suspenso.

“A primeira cidade que passou por isso foi Governador Valadares e nós ainda não sabemos o que aconteceu. Em Ipatinga, onde houve análise, a qualidade da água piorou. Se essa tendência se confirmar, vamos ficar entre 24 e 48 horas com o risco de não tratar”, destacou o prefeito.

O prefeito explicou ainda que o abastecimento no município será interrompido quatro horas antes da chegada dos rejeitos. “Nós vamos torcer para que ela dure o menor tempo possível. Ele vai ser interrompido algumas horas antes. Nós vamos continuar tratando até lá”, completou. O abastecimento de água tratada de Colatina vai ser fornecido pelo município de Linhares.

O deslocamento da lama de rejeitos rumo ao Espirito Santo
O deslocamento da lama de rejeitos rumo ao Espirito Santo, ocorrem em várias velocidades

Baixo Guandu

O prefeito do município de Baixo Guandu, no Noroeste do Espírito Santo, Neto Barros (PC do B), informou que vai acionar judicialmente a mineradora Samarco, empresa responsável pelas barragens que se romperam em Mariana, Minas Gerais. Barros quer que a empresa seja responsabilizada pelas consequências causadas pelo rompimento.

“A cidade vive um clima ruim. Precisamos responsabilizar a empresa e vamos acioná-los na Justiça para que eles reparem os danos que estão causando. Pescadores profissionais vão ter prejuízo e toda população será afetada”, disse o prefeito à Rádio CBN, lembrando também dos danos ambientais causados pela lama.

Aulas suspensas

Por causa das dificuldades no abastecimento de água nos municípios de Baixo Guandu e Colatina, a Secretaria de Estado da Educação (Sedu) suspendeu as aulas em 12 escolas estaduais, a partir desta segunda-feira (9).

Das 16 escolas dos municípios, somente quatro terão as atividades mantidas, pois o abastecimento de água não é realizado pelo Rio Doce. As quatro escolas são: EEEM Rodrigo Cesar Proeschodt e EEEM Maria Helena Stein Merlo, de Baixo Guandu, e ECOR de Colatina e EEEM Antônio Eugênio Rosa, de Colatina.

As escolas municipais de Colatina também estão com aulas suspensas a partir da terça-feira. As faculdades particulares Fundação Castelo Branco e Unesc de Colatina também suspenderam as atividades durante o período de passagem da lama.

Doação de água

Por conta da suspensão do abastecimento de água em Baixo Guandu e Colatina em decorrência da onda de rejeitos das barragens de Mariana, em Minas Gerais, o governo do Espírito Santo anunciou neste domingo (8) uma campanha de doação de água mineral para auxiliar os moradores das cidades que serão afetadas.

Os problemas pessoais e ambientais deixados pelo lamaçal são incalculáveis
Os problemas pessoais e ambientais deixados pelo lamaçal são incalculáveis

As doações deverão ser feitas a partir desta segunda-feira (9) diretamente no quartel do Corpo de Bombeiros Militar, situado na rua tenente Mário Francisco de Brito, na Enseada do Suá, em Vitória. As empresas que quiserem ajudar com carros-pipa devem entrar em contato com a Defesa Civil, pelo telefone 9 9904-5736.

Comunidades ribeirinhas

A Defesa Civil realizou, neste domingo (8), uma ação para retirar pescadores, banhistas e moradores das comunidades próximas ao Rio Doce, em Baixo Guandu e Colatina. Segundo a Defesa Civil, a prioridade é resguardar a população que pode sofrer com o aumento da vazão do Rio Doce. O órgão atua ainda no monitoramento e em ações de monitoramento para a chega da onda de rejeitos.

Amazonianarede-Agencias

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.