Embrapa tem tecnologia para melhorar o cultivo e produtividade da seringueira na Amazônia

Manaus – Tecnologia desenvolvida pela Embrapa Amazônia Ocidental, unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), permite viabilizar o cultivo de seringueira na Amazônia, a partir de uma combinação de enxertias de seringueira altamente produtivas em látex com clones de seringueira com a copa resistente ao mal das folhas.

O resultado são as chamadas “árvores tricompostas”, que têm o potencial de contribuir para tornar competitiva a produtividade de cultivos de borracha natural tanto na Amazônia como em outras áreas do Brasil onde ocorre o fungo causador do mal das folhas.

São chamadas de árvores tricompostas, porque são formadas a partir da composição de três plantas: o plantio inicial é feito a partir de sementes de uma seringueira comum, que depois recebe a enxertia de outra planta de seringueira selecionada pelas suas características de boa produção e qualidade de látex, que irá formar o tronco ou painel; quando a planta atinge o tamanho adequado recebe a enxertia de um clone de seringueira que possui copa resistente ao fungo causador do mal das folhas.

A árvore resultante da combinação dessas enxertias consegue sobreviver e manter produção nas áreas onde há a presença do fungo Microcyclus ulei, que até então é o principal limitador para o cultivo racional de seringueiras na região amazônica.

As informações sobre essa tecnologia foram apresentadas pelo pesquisador da Embrapa Amazônia Ocidental, Everton Cordeiro, e fazem parte de resultados de pesquisas da Embrapa Amazônia Ocidental, apresentada a um público de 55 pessoas representantes de instituições do setor agropecuário no Amazonas durante o seminário Cultivo e Produção Racional da Borracha no Estado do Amazonas, realizado na segunda-feira, 6 de maio de 2013, na Embrapa Amazônia Ocidental em Manaus.

O objetivo do evento, realizado em parceria pela Embrapa Amazônia Ocidental e Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Amazonas (FAEA) foi apresentar resultados de pesquisas e tecnologias da Embrapa para um público formado por representantes de instituições fomentadoras da cadeia da borracha natural no Amazonas, a fim de elaborar uma proposta, em parceria com os diversos setores interessados em alavancar a produção de borracha natural no Amazonas.

A base dessa proposta, inicialmente, é implantar unidades demonstrativas com o plantio racional das seringueiras utilizando a tecnologia das árvores tricompostas, para validação da tecnologia em diferentes regiões do estado do Amazonas.

A Embrapa Amazônia Ocidental está buscando parcerias para a produção de mudas e implantação dessas unidades demonstrativas. O plantio das seringueiras é recomendado para aproveitamento de áreas já desmatadas e também pode ser consorciado com outros cultivos agrícolas de ciclo curto.

Geração de renda

Durante a abertura do evento, o chefe geral da Embrapa Amazônia Ocidental, Luiz Marcelo Brum Rossi, definiu o momento importante para estabelecer propostas e encaminhamentos à produção de borracha no Amazonas.

“Que este seja o início de uma nova jornada relacionada à cultura da seringueira e à produção de borracha no Estado. Este é o momento de avançarmos nesta cultura. A produção racional está sendo feita em outros países e outros estados, como Mato Grosso, e isso gera uma renda fantástica aos produtores”, disse.

Para o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Amazonas, Muni Lourenço, a tecnologia gerada pela Embrapa abre uma perspectiva positiva em relação à produção de borracha no Amazonas, especialmente no que diz respeito à geração de renda e de empregos, além de abastecer indústrias que necessitam deste insumo.

“Neste momento empreendimentos industriais estão importando de outros estados e de outros países um produto que nós poderíamos estar produzindo no Amazonas. Nós estamos engajados no sentido de difundir isso para produtores de todos os portes, pequeno, médio e grande, sobre a oportunidade de negócio com a produção de borracha através do cultivo da seringueira com esta tecnologia”, disse.

O pesquisador Everton Cordeiro ressaltou que o cenário mundial é promissor para a produção de borracha natural, que é matéria prima integrante de mais de 40 mil produtos. “Quando se requer segurança, confiança e qualidade, só a borracha natural confere estas características para o material que se quer produzir.

Com o crescimento da indústria no mundo, se requer cada vez mais produtos oriundos de borracha natural. Então a gente não vislumbra a curto, médio e a longo prazo nenhuma alternativa tão interessante quanto a borracha natural para atender a demanda da indústria no mundo”, afirmou.(Embrapa)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.