Em Porto Velho, cresce a procura pela carne de jacaré

(Foto: Divulgação)

Com o início do Período do Defeso, época em que ficam proibidas as pescas profissionais e amadoras no município de Porto Velho, termina também o prazo permitido para o abates de jacarés no Lago Cuniã.

O secretário municipal de Agricultura e Abastecimento (Semagric), Leonel Bertolin, junto a uma equipe de técnicos, acompanhou o encerramento das atividades da Cooperativa de Pescadores, Aquicultores, Agricultores e Extrativistas da Resex Cuniã (Coopcuniã), quando também foram encerrados os trabalhos de fiscalização que os veterinários da Semagric exercem junto aos cooperados.

O abate de jacarés no Lago Cuniã não acontece como prática de criação em cativeiro. Ela ocorre com a finalidade de controle populacional. O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais (Ibama) não permite a caça predatória ou esportiva e não existe na região predador para esse animal, dessa forma, ele pode se reproduzir muito rapidamente e passar a ameaçar a população local.A implantação do projeto para manejo sustentável iniciou-se após uma criança ter sido atacada e morta naquela região.

É estimada a presença de 36 mil animais no Lago. Neste ano, a permissão para abate foi de até 900 unidades da espécie, mas somente 600 foram abatidos. Segundo Aline Rodrigues, veterinária da Semagric que fiscaliza os trabalhos da Coopcuniã, a rápida chegada do inverno amazônico fez com que o lago se enchesse muito cedo e isso dificultou os trabalhos de captura. Além disso, este é apenas o segundo ano de atividades, de forma que ainda está acontecendo a adaptação ao trabalho, que envolve 80 pessoas. Na divisão de equipes, há os que trabalham com a captura, outros com a lavagem, outros com a estola, que é a retirada do couro, e assim por diante, até a comercialização dos produtos. O couro não tem sido comercializado e está sendo estocado pela Coopcuniã. Questões burocráticas ainda impedem a exportação e a região ainda não absorve o comércio desse material.

Certificação do Selo de Inspeção

A Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (Semagric) quer agora ajudar a cooperativa de pescadores a conseguir a certificação do Selo de Inspeção Federal (SIF), o que permitiria o comércio em todo o território nacional e a exportação para outros países. “Caso não consigamos isso, vamos trabalhar para incluí-los no Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária (Suasa), que também pode habilitá-los a distribuir os produtos em todo o Brasil. Eles precisarão adequar suas instalações às exigências do sistema e melhorar em alguns outros pontos, mas a estrutura que eles possuem já está muito próxima ao necessário”, explicou Aline Rodrigues, veterinária da Semagric.

Selo de inspeção Municipal está liberado

A Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (Semagric) quer agora ajudar a cooperativa de pescadores a conseguir a certificação do Selo de Inspeção Federal (SIF), o que permitiria o comércio em todo o território nacional e a exportação para outros países. “Caso não consigamos isso, vamos trabalhar para incluí-los no Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária (Suasa), que também pode habilitá-los a distribuir os produtos em todo o Brasil. Eles precisarão adequar suas instalações às exigências do sistema e melhorar em alguns outros pontos, mas a estrutura que eles possuem já está muito próxima ao necessário”, explicou Aline Rodrigues, veterinária da Semagric.

O Selo de Inspeção Municipal, que certifica a qualidade do produto e permite a comercialização no município, foi fornecido por meio do acompanhamento e fiscalização dos trabalhos da Coopcuniã durante os meses de setembro, outubro e novembro, tempo em que o abate esteve permitido. A carne de jacaré é mais consumida em Porto Velho. O produto está sendo comercializado em um supermercado da Capital. Segundo informou Aline Rodrigues, o supermercado atesta que o consumo está crescendo. “Inicialmente, percebeu-se uma fraca saída, mas após abaixarem um pouco o preço e começarem a oferecer iguarias para degustação, tais como estrogonofes e iscas, eles passaram a perceber grande saída, de forma que toda a produção tem sido absorvida rapidamente”, afirmou. A média do produto no varejo é de R$ 25 o quilo. Trata-se de uma carne muito saborosa, possui grande capacidade nutritiva com baixo teor de gordura, e pode também ser consumida como uma proteína alternativa por pessoas que têm alergias a outros tipos de carnes.

Valor Nutritivo

Na internet, diversos sites destacam o carne como uma iguaria de grande sabor. A carne é branca, firme com textura semelhante ao frango e sabor de peixe, porém mais suave. A parte com maior quantidade de carne é a cauda. A cauda pode ser cortada em postas e preparada como cação, grelhada, ensopada, iscas e a doré.

A grande maioria do sites, relacionam a tabela nutricional da carne de jacaré da seguinte forma:

100 gramas de carne de Jacaré
Calorias (Kcal) 108
Proteínas(g) 22,80
Carboidratos(g) 0
Gorduras(g) 1,20
Cálcio (mg) 13
Fósforo (mg) 260
Ferro (mg) 1,00

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.