E David venceu Golias…

Osny Araújo*

Ontem passei algum tempo assistindo a TV Senado e pude ver uma histórica reunião da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado e tive a grande satisfação de assistir uma luta desigual, aonde o pequeno Davi venceu o gigante Golias, ou seja, o Amazonas, na luta pela manutenção da alíquota diferenciada do ICMS de 12% para a Zona Franca de Manaus, venceu o rico e poderoso Estado de São Paulo, numa disputa engendrada pelos empresários paulistas e comandada pelo governador Geraldo Alckmin que cada vez se destaca como inimigo da Zona Franca de Manaus e do Amazonas, deixando no chinelo José Serra, que era visto como tal.

A aprovação da proposta paulista decretaria a falência da ZFM, modelo de desenvolvimento regional, instituído ainda no chamado regime militar e que deu certo, mas os paulistas de vez em quando querem detoná-lo, funcionando como um monstro esmagador do desenvolvimento regional e querendo abocanhar tudo, como se São Paulo, fosse o próprio Brasil e os estados mais pobres e distantes, funcionando como um verdadeiro demolidor.

Contando com o declarado apoio da presidente Dilma Rousseff, os gerais políticos do Amazonas, governador Omar Aziz, prefeito Arthur Neto e o senador Eduardo Braga, líder do Governo no Congresso, se juntaram a outros valorosos guerreiros das bancadas do Amazonas na Câmara e no senado e apoiados por “guerreiros” dos Estados, do Norte, nordeste, centro oeste, Rio de Janeiro e Espírito Santo, munidos de forte munição em forma de relatórios e estatísticas, partiram para a primeira batalha travada ontem no CAE e de lá saíram vitoriosos. Na votação o placar favorável ao Amazonas foi de 16 a 9. Nada mal.

O fato serviu para demonstrar mais uma vez que quando todas as forças políticas se unem em favor do Estado, esquecendo as refregas eleitorais dos tempos de campanha, os resultados são ótimos e foi assim nesta luta em Brasília. Adversários de ontem se tornaram aliados e quem ganhou com isso foi o Amazonas e o seu povo e mais uma vez foca demonstrado, que em política, você é adversário e não inimigo e essa união de adversários em torno de um objetivo comum em favor do Amazonas, foi legal, demonstrou preocupação com os intersses maiores do Estado e é exatamente isso que o povo almeja. Esse é o comportamento e o compromisso que a sociedade espera de todos.

Vencemos a primeira batalha, mas a guerra continua. Ainda teremos que enfrentar outro embate no plenário do Senado, o que deverá ocorrer nos próximos dias, mas até lá, novas articulações deverão ser feita pelos nossos generais, oficiais e soldados e quem sabe a coisa se torne mais fácil nessa luta final.
O que não dá para entender é como que o Estado de São Paulo, o mais rico e mais poderoso do Brasil, que tem um alto PIB, o melhor nacional, se volta contra o Amazonas, um Estado longe dos grandes centros consumidores, sem integrar o eixo-rodoviário nacional e com pouca estrutura, pode fazer medo ou ameaçadas ao poderoso São Paulo, tão temida pelo governador Geraldo Alckmin.

Que essas investidas contra o Amazonas, a Amazônia e a Zona Franca de Manaus, sirva de exemplo para estados menos desenvolvidos e em regiões mais isoladas politicamente no País como norte e nordeste, porque São Paulo funciona como um demolidor. Hoje é o Amazonas o alvo, amanhã, poderão ser outros estados. São Paulo é ganancioso e quer tudo só para si e olhe que a Zona Franca de Manaus, tem várias indústrias paulistas e emprega muita gente do Estado nas suas unidades industriais no PIM e no próprio comércio.

No meu entendimento, esses políticos que mais uma vez se voltaram contra a Amazônia e a Zona Franca de Manaus, um modelo de desenvolvimento que ajuda a manter a floresta em pé, e gera emprego e renda, precisam estudar mais a região, conhecer as suas necessidades, ver a importância de um projeto como esse para a sustentabilidade da região e do país e não ficarem por aí fazendo besteiras como essa comandada pelo governador Alckmin. Que assim seja.

(Postagem simultânea nos sites: Noticianahora, Amazonianarede, Tadeudesouza e blog Jornalismo Eclético)
*Osny Araújo é jornalista e analista político.
E-mail: [email protected][email protected] 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.