DPE lança dia 9 o projeto ‘Um Novo Amanhã’ para crianças e adolescentes vulneráveis

A defensoria lança dia 9, o projeto Um amamnhã mehor, para crianças e adoescentes
A defensoria lança dia 9, o projeto Um amamnhã mehor, para crianças e adolescentes

Amazonas – A Defensoria Pública do Estado do Amazonas (PDE-AM) lança nesta quinta-feira, 9 de fevereiro, às 10h, o projeto “Um Novo Amanhã”, que tem como foco o atendimento psicológico, jurídico e social às crianças e adolescentes vítimas de violência e exploração sexual, estendendo o acompanhamento psicossocial aos agressores

O atendimento do projeto será feito no Núcleo Psicossocial da Defensoria Pública, que fica na rua 24 de Maio, 321, Centro, de segunda a sexta-feira, das 8h às 13h.

De acordo com estatísticas da Secretaria de Segurança Pública (SSP), foram registrados 757 casos de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes no Amazonas em 2016, a maioria vítima de estupro.

A defensora pública Flávia Lopes, coordenadora-geral do projeto, ressalta que a criação do “Um Novo Amanhã” é mais uma forma de contribuir para que a Defensoria Pública cumpra com uma de suas funções, a de exercer a defesa dos direitos da criança e do adolescente e atuar na preservação e reparação dos direitos de pessoas vítimas de abusos sexuais.

 “A criação do Projeto ‘Um Novo Amanhã’ busca implementar  esses objetivos, promovendo o acompanhamento de crianças e adolescentes vítimas de abusos sexuais, tanto procurando restaurar a integridade psicológica daquela vítima, que ainda está com a personalidade em formação, como acautelando que esta, pelo fato de ter sofrido uma violência, venha a se tornar uma pessoa dotada de agressividade, com predisposição para vir a praticar crimes”, explica.

 A psicóloga Nádia Teles, coordenadora técnica do projeto “Um Novo Amanhã”, explica que o grande diferencial deste novo serviço da Defensoria Pública é o atendimento psicológico estendido aos agressores. Segundo ela, este é um ponto de grande importância porque, em muitos casos, o agressor não identifica em si algum distúrbio psicológico que leva ao comportamento de violência sexual. “Nosso foco é o atendimento estendido. Não só à criança, visando à redução dos danos da violência, mas também atender ao agressor, conscientizando do problema”, disse.

 O projeto contará com duas salas, sendo uma de recepção e a outra para o atendimento das crianças e adolescentes, bem como, dos agressores, que serão recebidos em horários distintos. O atendimento psicológico às crianças será feito com o auxílio de ferramentas lúdicas.

 Apoio

 O projeto conta com apoio das Defensorias Públicas Especializadas em Saúde, Direitos Humanos e da Infância e Juventude Cível; da Frente Parlamentar de Enfrentamento à Violência Sexual contra Criança e Adolescente (Frenpac); da Comissão de Proteção à Criança e ao Adolescente da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Amazonas, (OAB-AM); da Plataforma Amazônia – Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF/AM), Unai Sacona; da Delegacia de Proteção à Criança e do Adolescente (DEPCA); do Comitê Estadual de Enfrentamento à Violência Sexual contra Criança e Adolescente; do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (CEDCA); e do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente. Conta ainda com o apoio do Conselho Tutelar das zonas norte sul, centro-sul, centro-oeste, leste e oeste.

Amazomnianarede-DPE-AM

 

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.