Começou o troca-troca dos presentes de Natal no comércio de Manaus

27-12lojaManaus – A história se repete sempre nesta época, mesmo que as lojas não sejam obrigadas por lei a trocar presentes que não estejam com defeito, apesar disso os lojistas atendem bem os clientes e as trocas são feitas de maneira tranquila.

Depois das compras de Natal, começou, ontem (26), o primeiro dia útil após o feriado, a oportunidade para fazer a troca dos produtos que não agradaram. Apesar dos motivos serem os mais diversos.

O Departamento do Programa Municipal de Proteção, Orientação e Defesa do Consumidor (Procon Manaus) alerta para o cliente ficar atento aos casos amparados pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC).

Por meio da assessoria de imprensa, o diretor do Procon Manaus, Alessandro Cohen, destacou que a loja não é obrigada a fazer troca de mercadorias em perfeito estado, só por causa do descontentamento dos presenteados. Porém, ele salientou que a loja tende a atender ao pedido do cliente. “Normalmente há um acordo entre a loja e consumidor. Esta, por sua vez, busca a fidelização dos clientes, pois sabe que ao trocar a mercadoria, gera-se uma nova venda, o que é uma tática de marketing”, explicou.

Ele frisou que o artigo 49 do CDC dispõe o direito de arrependimento somente àquelas compras realizadas fora do estabelecimento comercial, ou seja, via telemarketing ou internet. “Nesse caso, qualquer que seja o motivo, o consumidor tem o prazo de sete dias para devolver a mercadoria e ser ressarcido de imediato”, disse.

A troca

A troca de mercadorias só deve ser realizada, obrigatoriamente, conforme Cohen, nos casos em que se identificar a ocorrência de vícios de qualidade ou quantidade que tornem o produto impróprio ou inadequado para o consumo a que se destina ou, ainda, que afete o seu valor. “Outro ponto a ser levado em consideração para a troca são vícios que não sejam sanados pelo fornecedor no prazo máximo de 30 dias”, esclareceu.

Ele ressaltou que é indispensável a apresentação da nota fiscal do produto e do termo de garantia devidamente preenchido pelo comerciante. “Sempre alertamos o consumidor quanto ao dever de exigir a nota fiscal. É por meio dela que pode ser solicitado qualquer tipo de serviço. Independentemente de valor de mercadorias, é obrigação do estabelecimento comercial emiti-la. Para todo tipo de trocas, ela deverá ser apresentada”, enfatizou.

O gerente Ronildo Ferreira Santos, da unidade do Shop do Pé, localizada no Centro, declarou que o procedimento para trocas de produtos é facilitado pela maioria dos lojistas. Segundo ele, geralmente não há burocracia.

“Basta a pessoa levar o produto na embalagem da loja que em muitas delas não há a necessidade de apresentar a nota fiscal. No nosso caso, vamos ter uma estrutura para atender a demanda, mas pedimos que as pessoas tenham paciência, pois sempre dá muita gente para fazer trocas”, observou.

Amazonianarede

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.