Circuito da Ciência tem edição especial neste sábado

(Reportagem: Cimone Barros)

A visita de aproximadamente 300 estudantes de escolas da rede pública de Manaus já está agendada. Exposições científicas, oficinas, atividades lúdicas e culturais marcam a programação.

Uma oportunidade de aprender ciências não só pelo ouvir, como costuma acontecer em sala de aula, mas também pelo tocar, ver e brincar. É assim que funciona o projeto Circuito da Ciência do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI) que realiza na manhã deste sábado (19), a 8ª edição do ano, desta vez como parte da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT).

De acordo com o coordenador do Bosque da Ciência, Jorge Lobato, a SNCT, que no Inpa inicia nesta quinta-feira (17) e vai até o aniversário de Manaus (24), é muito importante para a divulgação científica e o Circuito vem ao encontro dessa aproximação do Inpa com a sociedade. “O projeto consolida esse novo momento do Instituto que é abrir as suas portas para a população, mostrando o conhecimento produzido sobre a nossa biodiversidade”, disse Lobato.

O projeto é uma ferramenta de popularização da ciência que busca disseminar os conhecimentos científicos e tecnológicos produzidos pelo Inpa. Para isso, várias atividades socioambientais e culturais, como exposições científicas, oficinas, jogos educativos e apresentações de música e teatro, são desenvolvidas no Bosque da Ciência localizado dentro do Inpa, com entrada pela Rua Otávio Cabral, Petrópolis, zona Centro-Sul.

Uma vez por mês, sempre no último sábado, o Bosque abre as portas para realizar o Circuito da Ciência, 8h às 12h, com a presença de escolas convidadas da rede pública e a visitação espontânea. Nesta edição especial, o projeto receberá cerca de 300 alunos das Escolas Municipais Anastácio Assunção (bairro São Lázaro) e Noemia Santana Nascimento da Costa (bairro Redenção) e as Escolas Estaduais Júlia Bittencourt (bairro Compensa) e Herbert Palhano (bairro Nossa Senhora das Graças).

Conforme Lobato, os visitantes contam ainda com um espaço bem conservado, rico em vegetação – tendo até um exemplar de Tanimbuca de aproximadamente 600 anos –, além de peixes-bois, ariranhas, jacarés, tartarugas, cutias, macacos e algumas trilhas a serem percorridas.

Outro destaque do Bosque é a Casa da Ciência onde está exposta uma folha (Coccoloba) de 2,5 metros de comprimento e 1,44m de largura, a maior folha dicotiledônia da Amazônia.

Atividades

O visitante terá a oportunidade de participar de oficinas exposições como Malária e Dengue, Leishmaniose, Invertebrados Terrestres Vivos, Abelhas das Orquídeas, Insetos Aquáticos, Jogos Educativos/Lapsea, Herbário e Carpoteca (local onde se guardam frutos), A Floresta em uma Biblioteca, Recursos Hídricos, Saúde Bucal (UEA/Ufam), Clube de Ciências (Ufam) e Sala de Ciências (SESC).

Também há outras atividades demonstrativas como Gestão de Resíduos (Moto Honda), Com Postura (Fametro), Exposição de Produtos Reaproveitáveis e Jogos Ambientais (Semmas), Coleta Seletiva (Semulsp), Manaus Ambiental, Despertando a Consciência (Uninorte), Pirogravuras em papel reciclado, atividades ambientais (Câmara Nipo), Grupo de Escoteiro Amazonas, Programa Ciência na Escola (PCE) – projeto Socialização de Saberes: fusão e difusão da cultura africana no Brasil da Escola Municipal Deputado Ulisses Guimarães.

Participação

O Circuito da Ciência existe há 14 anos e nesse período mais de 180 escolas da rede pública de ensino, englobando cerca de 50 mil pessoas entre crianças, jovens e adultos, conheceram o espaço físico e as produções científicas do Inpa, desenvolvidas com o caráter sociocientífico e cultural.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.